Posts com a Tag : Fantasy

Retrospectiva: uma coleção das besteiras que falamos

A longa offseason da NFL é um período de muita reflexão para todos nós que, de alguma forma, estamos envolvidos com o melhor esporte do mundo. Não há muito o que falar sobre football: o draft já está no passado, tanto calouros quanto free agents já têm seus contratos assinados e tudo que os jogadores têm que fazer no momento é engordar, gastar seus milhões de dólares e aproveitar o tempo livre para se envolver em problemas com a polícia. No verdadeiro período de férias da NFL, não há notícias e nem nada de novo para ser analisado.

Mas nós do Pick Six decidimos usar esse período de marasmo para fazer uma auto-crítica e exorcizar alguns demônios. Em comemoração ao quase um ano de atividades do site, fui escolhido para ser uma espécie de ombudsman e conduzir uma investigação profunda sobre as bobagens que foram ditas por nossos integrantes  em 2016. Sim, disparamos vários absurdos que merecem ser relembrados e expostos. Acertamos um pouco, também, mas erramos bastante.

E você, leitor, que teve seus olhos maltratados por um monte de lixo, merece a verdade e a justiça. Se não temos bobagens novas para escrever, temos bobagens antigas para ressuscitar e expor no grande tribunal da internet. Vamos a algumas delas.

Atlanta Falcons

Talvez a principal mea culpa que precisamos fazer seja em relação a praticamente tudo que foi publicado a respeito do Atlanta Falcons. Nós conseguimos menosprezar um time que chegou ao Super Bowl com um dos melhores ataques da história durante todo o ano que passou. Em agosto, por exemplo, Murilo publicou um texto fazendo previsões patéticas sobre a temporada do Falcons e disparou a seguinte pérola:

“A grande e dura verdade é que NINGUÉM SE IMPORTA. O Falcons cumpriu sua missão na NFL quando deu Brett Favre para Green Bay. Poderia ter acabado ali e nos poupado de todo o resto – inclusive deste preview. Seis vitórias e fechem a franquia na temporada que vem; não queremos escrever sobre eles novamente.”

Ivo, responsável pelos primeiros Power Rankings do site, não ficou muito atrás e publicou as seguintes pérolas em sequência nas três primeiras semanas da temporada:

Semana 1

“Será muito legal ver Matty Ice lançando TDs para Julio Jones e perdendo jogos. Este será o Falcons deste ano, com uma defesa que não pára ninguém e um ataque que depende quase exclusivamente de Julio – sabemos que Devonta Freeman é uma mentira e estava sob o efeito de entorpecentes no início da temporada passada.”

Semana 2

“Todos sabemos que o Falcons não chegará longe, mas se derrotar o Saints duas vezes terá seu título moral.”

Semana 3

“Segue o sonho de vencer New Orleans duas vezes e conquistar o seu título moral. Freeman, Coleman e Ryan atuaram como se a defesa do Saints não existisse – e na verdade não existe. A dúvida fica se o ataque conseguirá repetir a atuação contra uma defesa de verdade. Spoiler: não.”

Simplesmente épico.

Para fechar com chave de ouro, em seu ranking de Quarterbacks, Digo limitou Matt Ryan à mediocridade eterna quando escreveu as seguintes palavras:

“Ryan, já é hora dos torcedores dos Falcons aceitarem, chegou ao seu melhor com aquela vitória nos playoffs (ainda que siga com boas campanhas na temporada regular) contra os Seahawks.”

Murilo completou a cagada:

“De qualquer forma, a pergunta que fica para esta temporada é até onde pode ir o Atlanta Falcons? Querendo ou não, ela está ligada a outra importante questão: até onde pode ir Matt Ryan? [Spoiler I: nenhum deles irá a lugar nenhum]”

Como todos sabem, o Falcons chegou ao Super Bowl destruindo as defesas adversárias e Matt Ryan foi eleito o MVP da temporada, transformando as nossas previsões pessimistas em grandes piadas de mau gosto.  Porém, é necessário fazermos uma ressalva: o segundo tempo do Super Bowl e a maior pipocada de todos os tempos mostraram que, bem lá no fundo, tínhamos um pouco de razão.

Desculpa, cara!

Carolina Panthers

Ainda na NFC South, enquanto o Atlanta Falcons era subestimado, o Carolina Panthers era extremamente supervalorizado. Ainda sob os efeitos da temporada de MVP de Cam Newton e da aparição no Super Bowl perdido para (a defesa do) o Denver Broncos, não hesitamos em disparar  previsões extremamente otimistas para o Panthers. Novamente, Murilo foi responsável por iniciar a metralhadora de bosta:

“Não há um time na NFC South que tenha hoje um front seven tão potente nem, me arrisco a dizer, um QB tão talentoso. Logo, os Panthers vão chegar tão longe enquanto a sorte de não enfrentar grandes defesas ou ataques aéreos inspirados (ou pegá-los baleados, vide Cardinals) permitir.”

Ele ainda completou a cagada ao dizer que “não tem como o Carolina Panthers perder essa divisão” no nosso primeiro e único podcast (sim, acredite, ele existe e está disponível para download no site).

Ivo, seguindo a mesma “linha editorial”, afirmou em seu primeiro Power Ranking, que tinha o Panthers em quinto, que “mesmo com a derrota na estreia, o Panthers levará com facilidade sua divisão e tem tudo para chegar forte nos playoffs”.

Tudo que podemos fazer nesse momento de glória é rir e, talvez, cogitar o encerramento das atividades do site por vergonha. O Carolina Panthers não só não venceu a divisão como terminou em último, com apenas seis vitórias. Além disso, Cam Newton sofreu colapsos épicos e nem de longe lembrou o jogador que venceu o prêmio de MVP em 2015.

Jacksonville Jaguars

O Jacksonville Jaguars é um time que consegue enganar todo mundo em todos os anos. É impressionante. Sempre acreditamos que o time tem talento e está próximo de vencer, mas sempre temos nossos sonhos frustrados. É muito parecido com o Brasil: queremos acreditar que um dia possa se tornar uma potência, mas acaba sempre destruído pela podridão. Nada vai mudar isso. A falsa esperança coletiva no Jaguars levou ao seguinte diálogo no já mencionado podcast:

Murilo: “Jaguars tem o melhor coletivo da AFC South!”

Digo: “Eles são o melhor time e vão ganhar a divisão.”

Cadu: “Eu concordo!”

Três idiotas discutindo football e nenhum foi capaz de impedir que isso se tornasse público.

Em um trecho de artigo que previa a temporada de Jacksonville e que tinha o sugestivo título de “Bortles é foda, o resto é moda” (vomitei), Murilo foi um visionário e previu a própria existência desse texto e das cobranças que estariam por vir:

“Adoramos errar previsões e você, querido leitor, está autorizado a nos cornetar daqui três ou quatro meses, mas afirmamos que Blake Bortles está pronto para dar o próximo passo.”

Na verdade, ele estava certo: Bortles acabou dando o próximo passo, porém em direção ao abismo. Para finalizar, Digo teve um momento de brilhantismo em um texto sobre o que seria do Patriots em 2016 e previu uma vitória do Jaguars em New England. É simplesmente ridículo:

“Brady não mostra nenhum sinal de ter 39 anos, até uma derrota bizarra para os Jaguares de Jacksonville debaixo de muita neve em Boston. Você ouviu aqui primeiro.”

Enganou vários trouxas.

Fantasy

Xermi foi o responsável por escrever nossas colunas sobre Fantasy em 2016. Entre conselhos maravilhosos como “escale Nelson Agholor sem medo”, Xermi levou seu time a uma honrosa 11ª posição entre 12 times na liga de Fantasy mais importante do mundo. Além disso, conseguiu levar o time do Pick Six apenas a uma desastrosa 9ª colocação na liga com leitores do site, com apenas seis vitórias na temporada regular. Você já sabe em quem não confiar para o Fantasy 2017.

Diversas

Completamos esse texto com alguns aforismos que merecem ser mencionados. Digo, por exemplo, em sua birra com Joey Bosa disse o seguinte: “esse time (Chargers) parece destinado à mediocridade e torceremos contra eles por alguns anos até que alguém admita que fez cagada em relação a Joey Bosa”.

A parte sobre a mediocridade do Chargers é bastante compreensível, porém Bosa mostrou em pouco tempo que pode ser um talento raro. Digo ainda garantiu em seus balanços sobre a temporada que Denver Broncos e Minnesota Vikings estavam garantidos nos playoffs. E para fechar sua contribuição com o universo, disse que “se RGIII jogar tudo o que sabe, esse time (Browns) pode passar o Ravens”. Não temos como justificar isso.

Já Murilo desconsiderou completamente a qualidade do Miami Dolphins, que acabou se mostrando um time razoável e conseguiu chegar aos playoffs: “na oitava semana tudo já estará perdido e o Dolphins estará em algum lugar entre o limbo, o nada e a última posição da divisão. O objetivo deve ser alcançar cinco vitórias, mas com três já será possível comemorar”.

Ivo também se mostrou bastante pessimista quando colocou o Dallas Cowboys na posição 25 de seu Power Ranking (atrás de New York Jets e San Francisco 49ers, acreditem) e desconsiderou a ascensão de Dak Prescott: “resta a Dallas torcer para Romo voltar logo (e então se lesionar novamente).”

Ainda tivemos a capacidade de colocar o modorrento Los Angeles Rams na 13ª posição de um de nossos rankings, o que é completamente inaceitável e é a maneira certa de encerrar um texto com tantas cagadas.

Futuro

Você deve estar se perguntando se todas essas admissões de culpa servirão para que erremos menos no futuro. A resposta é simples e óbvia: não, não nos importamos com isso e vamos continuar por tempo indeterminado. Preparem seus olhos. Eles ainda vão sangrar bastante. Além disso, se você chegou até aqui é porque adora ler uma bobagem.

Fantasy Football: um guia

Fantasy Football: tá aí um negócio que vicia! E se você clicou neste texto, das duas uma: ou você já é um viciado, ou vai ser. Não há escapatória. Estamos falando de um jogo datado dos anos 60, criado nos EUA e que hoje move não somente milhares de pessoas, como milhares de dólares; anualmente a indústria do fantasy football movimenta aproximadamente US$ 5 bilhões.

Mas o que é esse jogo afinal? Se você é brasileiro, provavelmente já ouviu falar no Cartola FC, um jogo em que você escala um time com os jogadores de futebol e os pontos que você faz no jogo são baseados no que os atletas produzem no jogo real. É bacaninha. O fantasy football segue o mesmo raciocínio, até porque o Cartola FC foi lançado muito depois e com certeza baseado no fantasy de futebol americano.

Mas fantasy é muito melhor, acreditem. Por que achamos isso? Porque no Cartola FC todo mundo pode ter, por exemplo, o Gabigol, o Ganso, o Gabriel Jesus, etc. No fantasy, somente uma pessoa da liga pode ter o Antonio Brown, o Larry Fitzgerald, o Cam Newton. Além disso, os confrontos são sempre diretos. O objetivo não é fazer mais pontos que todo mundo e sim mais pontos que o seu adversário da semana, classificar-se aos playoffs, e levantar o caneco no jogo final. Isso torna a disputa bem mais interessante.

Agora vamos direto ao ponto: isto é um guia para os iniciantes deste jogo e um complemento para os que já jogam. Quando comecei a jogar fantasy, em 2009, não tinha a menor ideia de como funcionava e a maioria dos textos que encontrei sobre o assunto na internet eram em inglês. Então vamos lá!

A TEMPORADA DE FANTASY

O fantasy começa antes da temporada regular da NFL. Isso porque a primeira parte é a criação de uma liga e o cadastro dos times que vão disputá-la. Existem diversos sites que proporcionam ligas de fantasy de forma gratuita. Recomendamos os seguintes: Yahoo, NFL, ESPN e CBS. Você pode criar uma liga e convidar seus próprios amigos (mais legal e recomendado) ou você pode entrar em uma liga pública. As ligas variam de 6 a 20 pessoas, mas a grande maioria é composta por 10 a 12 membros, o que não deixa os times nem muito fortes, nem muito fracos. São consideradas ligas Standard (padrão).

Depois, é necessário marcar o dia e hora do Draft, que é feito online através uma plataforma do site que você escolheu para criar sua liga. O Draft é realizado sempre antes da temporada regular começar, normalmente após a 3ª semana da pré-temporada. É possível realizar o Draft depois do início dos jogos oficiais da NFL, porém as pontuações e confrontos entre os times só contarão a partir dali. O draft-day é o dia mais importante do fantasy, pois é nele que você vai escolher seu time para o ano todo, tanto titulares quanto reservas.

Com seu time montado, a liga gera um calendário e a cada semana você joga um confronto contra outro time. Normalmente a temporada regular do fantasy tem 13 ou 14 semanas. Isso porque as ligas de FF devem terminar antes dos playoffs da NFL, visto que apenas 12 times o disputam. As semanas 14, 15 e 16 normalmente são jogados os playoffs do fantasy (com quatro ou seis times classificados, normalmente), sendo que na semana 16 ocorre o Fantasy Super Bowl. Ele também pode ser jogado na semana 17, mas as ligas evitam isso, pois alguns times da vida real começam a poupar alguns atletas para os playoffs da NFL.

IMAGEM 1

Durante a temporada, os times podem trocar atletas entre si. Também é possível contratar jogadores que não foram escolhidos, mantendo sempre o número máximo de atletas por time (geralmente 15 ou 16). E claro, como bom general manager, você vai mandar alguns atletas embora, perder outros por lesão, suspensão, aposentadoria, etc.

No final, o que importa é tirar sarro dos perdedores ou pagar o churrasco que você apostou com os amigos.

AS LIGAS, PONTUAÇÕES E POSIÇÕES DE FANTASY FOOTBALL

Basicamente existem três tipos de ligas que você pode montar. Abaixo vou explicar cada uma delas:

Head-to-head: Essa é a liga mais comum, na qual os times se enfrentam em temporada regular (13 a 14 semanas) e depois nos playoffs (duas ou três semanas). A liga dura um ano e, no ano seguinte, você faz o draft do seu time todo de novo, sem manter jogadores do ano anterior.

IMAGEM 2

Keepers: Neste tipo de liga, você poderá manter no próximo ano um número pré-programado de jogadores do seu time desse ano.

Dynasty: Nas ligas Dynasty, você mantém o seu time de ano a ano, trocando apenas jogadores que você quiser, e selecionando novos através do rookie draft (draft dos calouros).

Para rodar uma liga de fantasy, você precisará escolher um sistema de pontuação e posição dos atletas. Abaixo estão as mais comuns:

Standard: Essa é a liga básica de fantasy, sem nenhuma alteração na pontuação. As posições dos times normalmente são compostas por 1 QB, 2 WR (ou 3 WR), 2 RB, 1 FLEX (WR ou RB), 1 TE, 1 K, 1 DEF, 6 reservas.

PPR: As ligas PPR (points per reception), como o próprio nome já diz, dão pontos extras por recepção. Em todas as ligas, os atletas recebem pontos pelas jardas que recebem/correm, mas somente nas ligas PPR eles recebem pontos apenas pela recepção (mesmo que ela seja negativa ou para 0 jardas). As posições são as mesmas da liga standard.

IDP: As ligas standard e PPR não contemplam jogadores de defesa individuais. Você seleciona uma defesa/special teams completo, ou seja, não pode ter o JJ Watt ou o Richard Sherman. As ligas IDP (individual defensive player) são mais completas, pois você escolhe não somente os jogadores de ataque, mas também o de defesa. As posições dessa liga são, via de regra, as seguintes: 1 QB, 2 WR (ou 3 WR), 2 RB, 1 FLEX (WR ou RB), 1 TE, 1 K, 2 LB, 2 DB, 2 DL, 10 reservas.

Abaixo está o sistema de pontuação mais tradicional:

Jogadores de ataque

1 ponto a cada 25 jardas passadas;

1 ponto a cada 10 jardas corridas;

1 ponto a cada 10 jardas recebidas;

6 pontos a cada touchdown recebido;

6 pontos a cada touchdown corrido;

4 pontos a cada touchdown passado;

-2 pontos a cada interceptação;

-2 pontos a cada fumble perdido;

Kickers

1 ponto a cada extra point feito;

3 pontos a cada FG feito de 0-39 jardas;

4 pontos a cada FG feito de 40-49 jardas;

5 pontos a cada FG feito de 50 ou mais jardas;

DEF/ST

2 pontos por cada interceptação feita;

2 pontos por cada fumble recuperado;

1 pontos por sack;

2 pontos por safety;

2 pontos por FG bloqueado;

6 pontos por touchdown feito pela defesa ou special teams;

2 pontos por extra point retornado;

10 pontos por não ceder nenhum ponto ao adversário;

7 pontos por ceder de 1-6 pontos ao adversário;

4 pontos por ceder de 7-13 pontos ao adversário;

1 ponto por ceder de 14-20 pontos ao adversário;

0 pontos por ceder de 21-27 pontos ao adversário;

-1 ponto por ceder de 28-34 pontos ao adversário;

-4 pontos por ceder 35 ou mais pontos ao adversário;

DRAFT DAY, O DIA MAIS IMPORTANTE DO ANO!

Para todo jogador de fantasy, o draft é o dia mais importante do calendário. Isso porque ele é a base para a montagem do seu time. Muitas vezes após o draft já sabemos quais times irão brigar pelo título.

O draft client normalmente abre 30 minutos antes do dia e hora marcada pelo comissário de sua liga. A ordem de escolha é randomizada e o draft é feito no sistema snake, ou seja, o primeiro time a escolher na rodada 1, é o último na rodada 2, e assim por diante. Isso deixa os times equilibrados e a escolha justa. Também é possível fazer um auction draft, que funciona como um leilão, onde os jogadores tem um valor em moeda virtual pré-definido para gastar nos jogadores, sendo que as grandes estrelas custam mais caro e os jogadores menos requisitados, mais barato.

Algumas verdades sobre o draft:

  • A posição de escolha não importa muito, é possível fazer times bons draftando de qualquer posição;
  • Antes do draft, verifique jogadores que tem potencial para estourar no ano em questão, ou que foram muito mal no ano passado, mas que estão agora em situações melhores. Normalmente eles sobram para as rodadas finais do draft e acabam sendo de grande valor para o seu time;
  • Os rankings de jogadores pré-definidos dos sites de fantasy fazem sentido. Ou seja, se você é novo no negócio, vá se baseando nele;
  • NUNCA, JAMAIS, EM HIPÓTESE ALGUMA escolha um kicker ou uma defesa nos primeiros rounds. Isso é uma tolice sem tamanho. Use sempre os dois últimos rounds pra escolher essas posições. Mas não é nenhum absurdo selecionar essas posições a partir do round 10, porém não recomendamos.
  • As cinco primeiras escolhas são as mais importantes e devem equilibrar as principais posições de um time de fantasy (WR e RB). Existem algumas exceções na posição de TE (Rob Gronkowski, Jordan Reed e Greg Olsen, por exemplo) e QB (Cam Newton, Aaron Rodgers, entre outros), mas o principal é reforçar o corpo de recebedores e corredores.
  • Fantasy é questão de valor: em 2014 joguei uma liga em que um manager draftou o QB Aaron Rodgers com a 4ª escolha do 3º round. Essa foi uma escolha de valor e oportunidade, visto que naquele ano o Rodgers vinha saindo em vários mocks que fiz, no round 2 e até mesmo no round 1.
  • Faça vários mock drafts antes do draft real: mock draft é uma simulação de um draft real, com pessoas reais. Quando chega o mês de julho faça alguns, mas em agosto faça um intensivo. Faça teste em posições de começo, meio e fim de draft. Isso ajuda a “prever” o draft, dando uma vantagem competitiva em relação aos outros managers despreparados. Um site recomendado é o Fantasy Football Calculator.

Abaixo um pedaço de um mock draft que fiz. São os primeiros cinco rounds, estou na posição 6.

IMAGEM 3

  • Fique atento às notícias: é uma vantagem competitiva saber que jogadores estão vindo de lesão, quais estão se recuperando bem, quais trocaram pra times com situação ideal, etc. Para quem não se lembra, em 2011 o astro RB Adrian Peterson sofreu uma séria lesão. Em 2012, muitos diziam que ele não estava bem, mas algumas reportagens sinalizavam uma recuperação boa. Um dos meus colegas de fantasy o escolheu na 11ª rodada do round 2 e o RB acabou tendo a melhor temporada de sua carreira naquele ano. É bom lembrar que AP era considerado top 3 de escolhas em todos os outros anos (anteriores e posteriores à lesão).
  • O inverso também é verdadeiro: uma pessoa não muito atenta às notícias de que Peyton Manning já não parecia mais o velho xerife em 2015, acabou drantando-o no round 5 de seu draft (5º QB draftado). Manning finalizou a temporada como a pior de sua carreira em números e não entrou nem no top 12 de QBs.
  • Não seja clubista: sou fã e torcedor dos Cardinals. Nem por isso escolhi Kevin Kolb como meu QB quando ele foi contratado pelo meu time. Isso pode destruir sua temporada. Escolha jogadores do seu time, se eles caírem pra você na posição ideal.
  • Escolha jogadores em situação favorável: Em 2012 o QB Peyton Manning assinou um contrato para jogar pelo Denver Broncos. Essa movimentação deixou o WR Demaryius Thomas em situação favorável, visto que ganhou no seu time um grande passador. Ele teve uma temporada fantástica, com 94 recepções, 1.434 jardas e 10 touchdowns.
  • O time ideal completo, com titulares e reservas, geralmente tem 2 QBs, 5 WRs, 5 RBs, 1 TE, 1 K, 1 DEF. Nas 10 primeiras rodadas o ideal é ter 1 QB, 4 WR, 4 RB e 1 TE. As outras rodadas são de ajuste.

Essas dicas são já um bom começo pra quem vai estrear no fantasy. Certa vez, um amigo nosso, hoje integrante DESTE SITE, draftou dois QBs nos três primeiros rounds da liga. Se ele tivesse lido essas dicas, isso não teria acontecido!

TROCAS, FREE AGENCY E WAIVERS

O draft é muito importante, mas é óbvio que é possível salvar uma temporada com trocas, waiver e free agency. Mas como funcionam essas movimentações?

TROCAS: As trocas são simples e intuitivas e devem ser baseadas nas necessidades dos times. No ano passado escolhi Peyton Manning no draft. Na semana 4, insatisfeito com minha escolha, propus uma troca a um outro time: eu enviei Peyton Manning (QB), Charles Clay (TE) e Alfred Morris (RB) e recebi Cam Newton (QB), Gary Barnidge (TE) e Nelson Agholor (WR), ou seja, enfraqueci minha posição de TE e RB para obter um ganho em QB. Esse ganho acabou se tornando excelente, pois Cam Newton teve uma temporada histórica e os outros envolvidos na troca não fizeram diferença no campeonato.

IMAGEM 4

Lembrando que, se a troca for propositadamente injusta (Ex: trocar um kicker pelo melhor QB ou RB do jogo), ela pode ser vetada pelo comissário ou pelos membros da liga. Por esse motivo, toda troca passa por um período de aprovação.

FREE AGENCY: Todos os jogadores que não são escolhidos no draft ficam em um local chamado free agency. Eles podem ser contratados por qualquer equipe após o período de waivers (que será explicado abaixo). Essa contratação é momentânea: você dispensa um jogador do seu time, e contrata outro da free agency. Lembrando que o jogador que você dispensa vira um waiver, e pode ser contratado por outra equipe. Usamos a free agency por diversos motivos, como lesões, reposição de semanas de folga (bye week – cada time tem 1 por ano e seu jogador não joga), selecionar um jogador que está indo bem, etc. Em 2014, nosso colega de site Ivo puxou o Odell Beckham Jr direto da free agency. OBJ estava lá, pois iniciou a temporada lesionando, estreando apenas na semana 5. Ele terminou o ano com 91 recepções, 1.305 jardas e 12 touchdowns.

IMAGEM 5

WAIVERS: O waiver é uma ferramenta do fantasy que trava o jogador na free agency, deixando-o ser escolhido através de uma ordem de prioridade. Quando o jogo de um jogador começa, ele automaticamente vira um waiver até o fim da rodada. Isso porque ele pode se destacar muito, fazendo que todos os managers o queiram em seu time. Caso você queira aquele jogador, você coloca uma waiver claim nele, que roda basicamente na quarta-feira pela manhã e, se você tiver a prioridade, vai tê-lo em seu time. Existem dois tipos de waivers:

  • Standard: Após o draft, o jogador com a escolha 12 é o número 1 na prioridade do waiver e assim por diante. Assim que esse jogador utilizar sua prioridade a primeira vez, ele vai para o fim da fila. Nesse caso, é necessário usar o waiver com cautela, e apenas se extremamente necessário, afim de guardar a prioridade pra uma “escolha certa”.
  • Inverse Order of Standings: Após o fim da primeira semana, a prioridade do waiver passa a ser do último time na tábua de classificação. Se, na segunda semana, esse time continuar em último, a prioridade continua dele, mesmo que ele já tenha usado na semana 1.

Em 2015, o RB Marshawn Lynch, dos Seahawks, sofreu uma lesão que o afastou da temporada. Essa era a situação perfeita para que o RB reserva Thomas Rawls virasse uma máquina de fantasy points. Pensando nisso, o Ivo usou a prioridade que tinha nos waivers para contratá-lo:

IMAGEM 6

ESPECIALISTAS E RANKINGS

Existem alguns especialistas em fantasy, que dão dicas durante a temporada e fazem rankings pré-draft e semanais. Você pode seguir alguns deles no Twitter ou até mesmo procurar essas listas de quem escalar durante a temporada em sites especializados (NFL, Yahoo, Rotoworld). Aqui você encontra algumas listas de TOP 200 para a temporada:

@JameyEisenberg (CBS);

@MatthewBerryTMR (ESPN);

@Michael_Fabiano (NFL);

Ao longo da temporada, seguiremos com palpites furados, seja sobre fantasy ou NFL. Caso queiram mandar perguntas, dicas, tirar dúvidas de escalação e draft, fiquem à vontade e entrem em contato pelo Twitter!