Power Ranking #3 – O poço parece não ter fundo; o céu tem dono

27/set/16


Bem amigos do Pick Six!

A semana 3 acabou, então vamos para mais um Power Ranking – o único ranking que importa, a classificação definitiva.

Nesta semana aprendemos que talvez o fundo do poço (beijos, Cleveland Browns) seja mais distante do que você imagina.

Confira:

Ladeira abaixo: Houston Texans e Tampa Bay Buccaneers (-11)

Felizes na MEIUCA: Buffalo Bills e Washington Redskins (+9)

32 – Cleveland Browns (0 / 0-3)

Cody Kessler conseguiu levar o time para a prorrogação contra Miami (na verdade o kicker Cody Parkey conseguiu, ao errar TRÊS field goals – incluindo o que daria a vitória ao time de Cleveland). Na prorrogação, o Browns vence na moedinha e inexplicavelmente escolhe o Dolphins para receber a bola. Mesmo assim Cleveland recupera a pelota, somente para perdê-la novamente e dessa vez perder o jogo em um touchdown corrido de 11 jardas. Fica a esperança de vencer o Washington na próxima rodada (mentira, nem fica).

31 – Chicago Bears (0 / 0-3)

A boa notícia para os fãs do Bears era que Cutler não jogaria contra Dallas. A má notícia era que Hoyer seria o titular. Nada de bom pode vir disso, não é? Não ajuda também o fato de a defesa estar dizimada por lesões, o que tornou impossível parar o ataque liderado pelos rookies do Cowboys.

30 – San Francisco 49ers (-3 / 1-2)

Se semana passada San Francisco voltou à realidade contra Carolina, nesta semana continuou na triste realidade ao ser derrotado por Seattle. A defesa começou estendendo o tapete vermelho para o jogo corrido do Seahawks, ao tomar um touchdown de 41 jardas de Christine Michael com menos de um minuto de jogo. O ataque foi anotar o seu touchdown apenas no 4º período, quando o jogo já estava decidido. Nossa previsão mais otimista segue sendo que o time liderado por Blaine Gabbert ao menos nos fará dar boas risadas.

29 – Jacksonville Jaguars (-4 / 0-3)

Mais do mesmo em Jacksonville. O jovem e promissor (de acordo com nós mesmos) time do Jaguars continua colecionando derrota atrás de derrota. O retorno de Chris Ivory significou tanto quanto nossa opinião sobre o time (no caso, nada), e sem jogo corrido Bortles lançou para três interceptações. Fica a impressão de que quando esta máquina engrenar (nós avisamos) será tarde demais.

28 – New Orleans Saints (-4 / 0-3)

Semana passada achamos que a defesa estava “bem”, mas na verdade o Giants estava muito mal. Atropelado em casa por Atlanta, em um jogo em que Brees até tentou, mas quando seu time toma quase 50 pontos, não há milagre a ser feito.

27 – Detroit Lions (-4 / 1-2)

Apesar de ter uma vitória, o Lions segue os passos de Jacksonville e continua em queda livre em nosso ranking. A defesa foi dilacerada por Rodgers no 1º tempo, período em que o ataque até chegou a produzir razoavelmente. Na 2ª metade da partida Stafford correu atrás e até chegou a assustar o time da casa, lançando para quase 400 jardas (205 só para Marvin Jones), mas era tarde demais. Mais uma derrota na conta do time que já teve a pior campanha da história da NFL (0-16 em 2008, nunca esqueceremos).

26 – Tennessee Titans (-6/ 1-2)

Após vencer Detroit, Tennessee tinha pela frente a defesa que mais cedeu jardas nas duas primeiras partidas da temporada regular desde 1940 (MIL NOVECENTOS E F***ING QUARENTA). Aconteceu o óbvio: Mariota acertou apenas metade dos passes tentados, teve duas interceptações e um fumble, levando o ataque a anotar apenas 10 pontos. E, bem, perdeu o jogo para o Raiders. Próximo partida contra a defesa de Houston que vem mordida (esse termo é maravilhoso) após ser atropelada pelo 49º quarterback de New England. O futuro é animador.

25 – Miami Dolphins (-4 / 1-2)

Como assim o time vence e cai quatro posições no ranking? Simples, é só SE BORRAR inteiro para ganhar de Cleveland em casa, contar com 3 erros do kicker adversário (incluindo um no último lance do jogo) e a defesa, que vinha relativamente bem, tomar mais de 20 pontos do TERCEIRO quarterback do Browns. Pelo amor de Deus, Miami: faça uma estátua para Jay Ajajajajai por ter vencido esse jogo na PRORROGAÇÃO.

24 – Tampa Bay Buccaneers (-11 / 1-2)

Semana passada demos um desconto após ter sido amassado em Arizona. Agora tomar TRINTA E SETE pontos do time liderado por Case Keenum, que tinha anotado um total de ZERO touchdowns nas duas primeiras partidas, não dá para perdoar. O melhor momento do jogo foi protagonizado por Jameis Winston, quarterback dos Bucs, que após a interrupção da partida por conta do mau tempo teve a bola do jogo nas mãos com o relógio expirando e, ao invés de tentar lançar ou correr para a endzone, ficou esperando um milagre e foi tackleado pela defesa do Rams, dando números finais ao embate.

Nota: se seu time draftar um kicker no SEGUNDO ROUND, ele tem a obrigação de acertar todos os chutes da história da vida dele que forem de menos de 50 jardas. Fica a reflexão.

23 – San Diego Chargers (-5 / 1-2)

Zicamos Melvin Gordon. Após dizermos aqui mesmo na semana passada que ele finalmente havia se encontrado, ele corre para 35 jardas em 16 tentativas. Apesar de ter anotado o único touchdown ofensivo da equipe, foi uma atuação fraquíssima. Rivers conseguiu a proeza de lançar para zero touchdowns contra a fraca defesa do Colts, e foi responsável por 1 dos 3 fumbles perdidos na partida. Mais do mesmo: o linebacker Manti Te’o (ele mesmo, da namorada invisível) rompeu o tendão de Aquiles e está fora da temporada. O DM do Chargers corre sério risco de ter mais jogadores do que o roster da equipe.

22 – New York Jets (-9 / 1-2)

6 (S-E-I-S) INTERCEPTAÇÕES E 8 (O-I-T-O) TURNOVERS. PARABÉNS!

O mestre e o discípulo.

O mestre e o discípulo.

21 – Washington Redskins (+9 / 1-2)

Kirk Cousins se recuperou da atuação ruim da semana passada e lançou para quase 300 jardas e 2 touchdowns. A defesa interceptou Eli 2 vezes, além de recuperar um fumble crucial de Shane Vereen. Apesar da vitória, se quiser ganhar a divisão e ir aos playoffs, o jogo corrido precisa aparecer um pouco mais para ajudar a tirar um pouco da pressão de Cousins.

20 – Buffalo Bills (+9 / 1-2)

Após demitir o coordenador ofensivo, Rex Ryan promoveu o técnico dos running backs para a função. Apesar de questionável, a manobra ajudou o time a atropelar Arizona no jogo corrido (digno de uma tattoo nova, Rex!), com McCoy correndo para 110 jardas e 2 touchdowns e Taylor para 76 jardas e outro touchdown. A defesa interceptou Carson Palmer quatro vezes, e o special teams recuperou um fumble em uma tentativa de field goal e retornou para mais um touchdown de Buffalo. Apesar da boa atuação, mantemos a palavra e ainda acreditamos na demissão de Rex Ryan até o final da temporada.

19 – Indianapolis Colts (+7 / 1-2)

Tanto falamos que a defesa precisava ajudar o menino Luck que ela finalmente apareceu contra San Diego. Anulou o jogo corrido, não cedeu nenhum touchdown aéreo e recuperou 3 fumbles (dos 4 forçados). Apesar de inconstante, Andrew Luck teve a bola nas mãos para vencer o jogo e acertou um belo passe para T.Y. Hilton entortar a defesa do Chargers e deixar Indianapolis na frente do placar. Semana que vem tem clássico EM LONDRES contra o gigante Jaguars. Quem viver verá.

18 – Los Angeles Rams (+4 / 2-1)

Quem disse que Los Angeles não anota touchdowns? Nós, semana passada! É só enfrentar Tampa Bay que eles aparecem. Case Keenum lançou para dois e Todd Gurley correu para mais dois. A defesa tentou entregar o jogo no final, e há quem diga que se não fosse a parada por causa do mau tempo e a diarréia mental que acometeu Jameis Winston nos segundos finais, teria conseguido. Mas como todos nós sabemos que o “se” não existe – se eu tivesse escolhido um time melhor para torcer seria uma pessoa mais feliz – vitória do Rams e LIDERANÇA da NFC West. #ramslider

17 – Houston Texans (-11 / 2-1)

Osweiller parecia assustado, a defesa (que pelo menos DEVERIA SER o ponto forte da equipe) não parou o jogo corrido do Patriots – com Brisset comandando o time, até minha avó sabia que o foco seria o jogo corrido. Já o ataque conseguiu anotar ZERO pontos. Sorte do Texans que foi apenas o 3º jogo da temporada, então há bastante tempo para tentar ajustar o time para os playoffs. Vale lembrar que a última vez que Houston não anotou nenhum ponto em uma partida foi em 2003, contra o time dos nossos corações, o Jacksonville Jaguars e TAMBÉM por 27 a 0. Sabe o que isso quer dizer? Isso mesmo, bosta nenhuma.

16 – Atlanta Falcons (0 / 2-1)

Segue o sonho de vencer New Orleans duas vezes e conquistar o seu título moral. Freeman, Coleman e Ryan atuaram como se a defesa do Saints não existisse – e na verdade não existe. A dúvida fica se o ataque conseguirá repetir a atuação contra uma defesa de verdade. Spoiler: não.

15 – New York Giants (-7 / 2-1)

O 15º, 14º e 13º desta gloriosa lista poderiam estar em ordens diferentes. Mas por puro clubismo – e por perder em casa para o Redskins (chora, Cadu), colocamos o melhor dos “New Yorks” (não que isso signifique alguma coisa) em 15º. Odell finalmente apareceu! E coincidiu com a primeira derrota do time na temporada. Eli colocou mais duas interceptações na conta (as duas no último período), o que custou a vitória para o Giants. A defesa sofreu com lesões na secundária, (Eli Apple e Rodgers-Cromartie) o que poderá complicar ainda mais a vida da equipe dependendo de quanto tempo os lesionados ficarão fora.

14 – Cincinnati Bengals (-4 / 1-2)

A defesa tinha que parar o jogo corrido e fazer Siemian lançar a bola, certo? Certo. Parou o jogo corrido? Parou, parabéns. Então na hora de aproveitar as possíveis cagadas de Siemian, toma 312 jardas e QUATRO touchdowns aéreos na cabeça. Cincinnati “fez o mais difícil” contra Denver, tanto no ataque como na defesa. Conseguiu estabelecer o jogo corrido com Jeremy Hill, mas na hora de tomar proveito disso, Andy Dalton mostrou toda sua qualidade (não) e terminou o jogo com 0 touchdowns e uma interceptação. O lado bom é que mesmo estando 1-2, o Bengals já enfrentou dois fortes times da AFC. O lado ruim é que se Cincinnati chegar aos playoffs, provavelmente terá que enfrentar esses mesmos times.

13 – Arizona Cardinals (-8 / 1-2)

Foi horrível, parecia o Carolina Panthers na final da NFC”, disse Carson Palmer, provavelmente. A defesa sofreu contra o jogo corrido de Buffalo e o ataque (tirando o coitado do David Johnson, que parecia estar sozinho) sofreu mais ainda com as quatro interceptações de Palmer. A secundária até fez um bom trabalho, limitando Taylor em apenas 112 jardas aéreas, não cedendo nenhum touchdown e interceptando o quarterback do Bills uma vez (uma interceptação espetacular de Patrick Peterson). Agora o caminho para o Super Bowl parece cada vez mais longo e árduo para os comandados de Bruce Arians.

12 – Oakland Raiders (+5 / 1-2)

Tudo bem que foi contra Tennessee, mas mesmo assim a defesa mostrou uma grande melhora e limitou o adversário em 10 pontos, interceptando Mariota duas vezes. Apesar de ter lançado uma interceptação, Derek Carr foi consistente e contou com a ajuda de Crabtree, que passou das 100 jardas recebidas. Na próxima rodada o time viaja até Baltimore, para enfrentar um dos quatro times que ainda não perderam nesta temporada. Veremos como irão se comportar os comandados de Jack Del Rio. 

11 – Dallas Cowboys (+8 / 2-1)

Lembra da brincadeira que fizemos semana passada sobre Romo não precisar voltar? Então, ela pode ser verdade… Dak Prescott continua cuidando bem da bola e pareceu um veterano contra a fraquíssima defesa de Chicago. Com apenas cinco passes incompletos, lançou para quase 250 jardas e seu primeiro touchdown. Correu para outro e contou com a ajuda de Ezekiel Elliot, que teve 140 jardas corridas.

10 – Kansas City Chiefs (+4 / 2-1)

O ataque normalmente fará isso: 200 e poucas jardinhas aéreas para Alex Smith, um touchdown e nada fora do comum. Agora se a defesa fizer o que fez contra o Jets, interceptando Fitzpatrick SEIS vezes, forçando um total de OITO turnovers e anotando dois touchdowns (incluindo um pick six, obrigado pelo merchan), temos o campeão do Super Bowl LI.

9 – Pittsburgh Steelers (-6 / 2-1)

Que a defesa não é lá essas coisas nós sabemos, mas o ataque ser COMPLETAMENTE ANULADO pelo sistema defensivo de Philadelphia, isso é novidade. O jogo corrido (abandonado por causa da grande diferença de pontos) conseguiu apenas 29 jardas e o aéreo apareceu só no garbage time, quando tudo já estava decidido. Big Ben – que havia lançado para seis touchdowns nos dois primeiros jogos, não lançou para nenhum e ainda foi interceptado uma vez. Na próxima semana Antonio Brown e amiguinhos enfrentam a forte defesa do Chiefs e a esperança é de anotar mais do que meros três pontos.

8 – Carolina Panthers (fod*-se, esquecemos dele semana passada /1-2)

Cam Newton teve flashes do Super Bowl 50 – o que não é bom, na verdade é horrível. O MVP da temporada passada sofreu nas mãos da forte defesa de Minnesota, lançando três interceptações e sofrendo assustadores oito sacks. Ele até conseguiu correr para um touchdown, mas foi muito pouco. A próxima partida é contra Atlanta – a defesa tem sido uma mãe –, então Carolina tem tudo para voltar ao caminho das vitórias. 

7 – Seattle Seahawks (+5 / 2-1)

Quando o ataque vai mal, nada como enfrentar uma defesa fraca. Após somar 15 pontos nos dois primeiros jogos, Seattle AMASSOU San Francisco e anotou 37 pontos. Christine Michael correu para mais de 100 jardas e dois touchdowns – um deles com menos de um minuto de jogo. A preocupação fica por conta do quarterback Russel Wilson, que torceu o joelho e é dúvida para o jogo contra o Jets. 

6 – Baltimore Ravens (+5 / 3-0)

Foi até Jacksonville, venceu o gigante dono da casa e está invicto. Flacco correu para um touchdown (isso é novidade!) e fedeu na hora de passar a bola (isso não é). Mas Baltimore tem o maior kicker da história do mundo, o único que pode ser considerado gente, que anotou CINCO field goals e carregou o time para a vitória. Precisamos de mais “Tuckers” na NFL.

Sensualizando.

Sensualizando.

5 – Green Bay Packers (+4 / 2-1)

Rodgers precisou de apenas metade do jogo para lançar quatro touchdowns e vencer o jogo. Sumiu no segundo tempo, assim como a defesa, que quase deixou Detroit chegar. Destaque para Jordy Nelson, que mostrou estar de volta após perder toda a temporada passada com uma lesão no joelho e anotou 2 touchdowns. 

4 – Philadelphia Eagles (+3 / 3-0)

Férias em janeiro… será? O Eagles triturou Pittsburgh, anotando 34 pontos e limitando o adversário a apenas 3. Carson Wentz jogou demais e parece ser o futuro da franquia. Assim como Green Bay, folga na próxima semana e pega Detroit na semana 5. O futuro parece ser brilhante na Philadelphia (para desespero de algumas pessoas deste site: não citaremos nomes porém Carlos Eduardo). 

3 – Minnesota Vikings (+1 / 3-0)

OITO sacks. A defesa infernizou Cam Newton o jogo todo e Sam Bradford cuidou bem da bola (e não se machucou!). Na semana 1 colocamos aqui que a dúvida era se a defesa poderia carregar o time. Do jeito que está jogando, não há mais dúvidas nisso!

2 – Denver Broncos (0 / 3-0)

Se com um cone a defesa levaria este time longe, imagine com John Elway como quarterback? Sim amigos, foi isso que Siemian fez. Lançou para quatro touchdowns contra Cincinnati e deixou a torcida acreditando que o atual GM da equipe na verdade é o quarterback. Nós também acreditamos. Vai, Elway!

1 – New England Patriots

Garoppolo, Brisset… seria Edelman o próximo? Parece que independente de quem seja o quarterback em New England, tio Bill dará um jeito de vencer. E se perder quando Tom Brady voltar, como fica?

Tags: , , , , , , , ,

COMPARTILHE