Mock Draft 2017: várias coisas sem sentido no mesmo lugar

25/abr/17


Estou certo que todos lembraremos, daqui alguns dias, das asneiras que escreverei logo abaixo. E não seria surpresa se nossos haters gastassem preciosos minutos memorizando as previsões para então nos torturarem em sequência. Postura correta, aliás.

De qualquer forma, não é o primeiro e nem o último Mock Draft que você lerá – e mesmo assim você ainda ficará puto com alguma das escolhas. Sinceramente, meu amigo, até quando? Vamos a elas:

01) Cleveland Browns: Myles Garrett, DE, Texas A&M
Você ainda lê a explicação justificando a escolha dos Browns? Todo ano temos um prospecto que é o “melhor desde Andrew Luck”, e Garrett é esse cara em 2017.

02) San Francisco 49ers: Solomon Thomas, DE, Stanford
Difícil aqui era escolher uma posição em que os 49ers não precisam escolher algum talento para preencher o buraco. Thomas vem pra ajudar o pass rush que não é o mesmo de quatro anos atrás.

03) Chicago Bears: Malik Hooker, S, Ohio State
Aos poucos a defesa de Chicago vai se tornando uma unidade respeitável. Hooker, com sua capacidade de cobrir uma extensa parte do campo, chega para se tornar uma âncora da equipe por muitos anos.

04) Jacksonville Jaguars: Leonard Fournette, RB, LSU
A posição de maior carência no roster de Jacksonville é a linha ofensiva, mas nenhum jogador tem valor para ser escolhido neste ponto do draft. Sendo assim, os Jaguars selecionarão um jogador capaz de fazer aquilo que Blake Bortles tem certa dificuldade: avançar a bola antes do jogo já estar perdido.

05) Tennessee Titans (via Los Angeles Rams): Corey Davis, WR, Western Michigan
Os Titans chegam ao draft precisando de reforços no corpo de recebedores e na secundária. Como a classe é mais forte nessa segunda unidade, a equipe opta por um WR em sua primeira escolha. Davis chega para se tornar o melhor amigo de Marcus Mariota.

06) New York Jets: O.J. Howard, TE, Alabama
Os Jets precisam de uma identidade no ataque e Howard chega para ser o jogador que vai fazer com que a equipe pare de tratar a posição de Tight End como se ela não existisse.

07) Los Angeles Chargers: Jamal Adams, S, LSU
Os Chargers encontram o sucessor de Eric Weddle (algum tempo depois de sua saída). Adams chega para ser um dos grandes jogadores da defesa, com suas jogadas e liderança dentro de campo.

08) Carolina Panthers: Mike Williams, WR, Clemson
Kelvin Benjamim já mostrou que pode e que não pode ser o cara de Cam Newton. Os Panthers escolhem um WR para ajudar o seu quarterback a voltar a ter uma grande temporada.

09) Cincinnati Bengals: Jonathan Allen, DL, Alabama
Ninguém se importa com os Bengals mesmo. Eles pegarão um bom jogador e farão alguma besteira em janeiro se chegarem lá – é isso que vocês precisam saber.

10) Buffalo Bills: Marshon Lattimore, CB, Ohio State
Depois de perder Stephon Gilmore na Free Agency, os Bills vão atrás do melhor CB da classe.

11) New Orleans Saints: Gareon Conley, CB, Ohio State
Já podemos chamar o que os Saints tem de defesa, o que é um avanço se considerarmos o que a franquia tinha há alguns anos. Como a troca com os Patriots por Malcom Butler não deu certo, New Orleans seleciona um CB mais barato, mas com muito potencial.

12) Cleveland Browns: Deshaun Watson, QB, Clemson
Watson já teve uma carreira vitoriosa no College e todos sabemos que você não pode ter tudo nessa vida: selecionado no Browns, sabemos que sua carreira profissional será arruinada. Por que não Mitchel Trubisky? 13 jogos como titular não são necessariamente o que Cleveland  – que tem trabalhado cada vez mais com estatísticas – procuram no seu futuro “QB“.

13) Arizona Cardinals: Deshone Kizer, QB, Notre Dame
Apesar das tentativas do seu técnico da faculdade de boicotá-lo, Kizer é escolhido em uma posição que é boa para os dois lados: ele terá tempo para aprender com Carson Palmer – que a qualquer momento pode simplesmente desaparecer – e Bruce Arians.

14) Philadelphia Eagles (via Minessota): John Ross III, WR, Washington
Nenhuma arma é demais para o menino Carson Wentz, que em alguns momentos confia demais no seu braço para fazer jogadas. Com Ross no time, é só jogar lá no fundo e torcer para que John resolva com sua velocidade.

15) Indianapolis Colts: Christian McCaffrey, RB, Stanford*
Os Colts se dão o luxo que não podem conceder a si mesmos e ignoram a defesa na primeira rodada. McCaffrey vem para tornar o ataque dos Colts uma das melhores unidades da liga, ajudando Andrew Luck de todas as formas possíveis: correndo, recebendo e até mesmo fazendo o trabalho que a linha ofensiva não gosta de fazer (bloquear).

*Nota do editor: clubismo-mo-mo

Vem pra casa, lindo!

16) Baltimore Ravens: Derek Barnett, DE, Tennessee
Com a partida de Elvis Dumervil e a idade chegando a Terrell Suggs, os Ravens decidem dar um upgrade no seu pass rush.

17) Washington Redskins: Dalvin Cook, RB, Florida State
Dalvin Cook chega para não deixar dúvidas sobre a qualidade do jogo corrido em Washington. Kirk Cousins agradece, pois com um ataque mais balanceado ele finalmente vai receber aquela renovação de contrato (ou não).

18) Tennessee Titans: Marlon Humphrey, CB, Alabama
Já dissecamos o plano dos Titans nesse draft, e com a escolha de Humphrey a equipe sai com dois grandes reforços nas duas posições de maior carência no elenco.

19) Tampa Bay Buccaneers: Forrest Lamp, OG, Western Kentucky
É importante proteger Jameis Winston das defesas adversárias e dele mesmo: às vezes o rapaz se empolga tanto quando a jogada colapsa e ele sobrevive que acaba fazendo alguma cagada.

20) Denver Broncos: Garett Bolles, OT, Utah
Alguns torcedores dos Broncos defendem que Siemian é, sim, um bom QB, mas a linha ofensiva não ajuda. Reforçando a linha ofensiva, eles descobrirão que Siemian não é um bom QB.

21) Detroit Lions: Haason Reddick, LB, Temple
O corpo de LBs dos Lions precisa de reforços e um jogador com a versatilidade de Reddick chega para ajudar onde o time precisar – mas, infelizmente, não será suficiente: ele não pode se multiplicar.

22) Miami Dolphins: Reuben Foster, LB, Alabama
Miami se beneficia pelo segundo ano seguido de um jogador que caiu no board devido a alguns problemas extracampo. Com essa adição, a defesa dos Dolphins pode dar o próximo passo e se tornar uma unidade capaz de vencer jogos.

23) New York Giants: David Njoku, TE, Miami
Essa escolha pode ser entendida como um recado a Eli Manning: “a linha ofensiva continua uma droga, mas você tem que dar um jeito de vencer. Tem muito cara pra pegar a bola. Ou vai ou racha“.

24) Oakland Raiders: Jarrad Davis, LB, Florida
Os Raiders precisam de ajuda na posição de LB. Não é a pick mais sexy desse draft, mas o jogador chega para melhorar uma defesa já em ascensão – também não é como se fosse possível ela piorar.

25) Houston Texans: Patrick Mahomes, QB, Texas
Sério que você quer saber porque os Texans escolheram um QB? Aproveita que o Game Pass está de graça até o meio de junho e assista ao jogo contra os Patriots: Andy Dalton venceria aquele jogo – ou pelo menos passaria perto.

26) Seattle Seahawks: Ryan Ramzcyk, OT, Wisconsin
Existe uma lenda de que se você tem mais de 1,90, pesa mais de 130 kg e deixa sua identidade cair perto da sede dos Seahawks na mesma semana você vai estar jogando na linha ofensiva de Seattle. Ramzcyk chega para acabar com um dos maiores provedores de empregos do mercado americano.

27) Kansas City Chiefs: Mitch Trubisky, QB, North Carolina
Alex Smith não te levará longe e Kansas City já percebeu isso. E não é como se ele fosse fazer cagadas ao longo da temporada para que o menino Trubisky tenha que sair do banco para resolver alguma bronca, como jogar a bola além da marca do 1st down.

Qualquer perspectiva de futuro é melhor sem Alex Smith.

28) Dallas Cowboys: Kevin King, CB, Washington

Porque o Mock já estava pronto quando lembramos.

29) Green Bay Packers: Quincy Wilson, CB, Florida
Quando me chamaram para fazer esse mock me disseram: “SÓ TIRA O GUNTER DO TIME TITULAR PELO AMOR DE DEUS”.

30) Pittsburgh Steelers: Budda Baker, S, Washington
Alguém precisa tacklear Chris Hogan: o WR dos Patriots está correndo até hoje na secundária de Pittsburgh. Mas no fundo queremos muito que os Steelers escolham um QB para que as pessoas comecem a acreditar em Roethlisberger. Nós sabemos que você não quer se aposentar, Ben.

31) Atlanta Falcons: Charles Harris, LB, Missouri
Atlanta substitui os spin moves de Dwight Freeney pelos de Charles Harris. Queremos acreditar que se Harris estivesse em campo os Patriots não virariam aquele jogo. Queremos.

32) New Orleans Saints (via New England): T. J. Watt, LB, Wisconsin
Como já dissemos, a defesa de New Orleans já pode ser chamada de defesa, mas ainda precisa de alguns reforços. Nada melhor que apostar no gene da família Watt.

Bônus:
Você que torce pra um time que trocou a escolha de primeira rodada (mesmo que seja por Sam Bradford) não foi esquecido.  Até porque não tem como se esquecer de algo que não existe – alô torcida dos Rams:

Los Angeles Rams: Pat Elflein, C, Ohio State
O ataque dos Rams não vai ser bom em 2017, mas ninguém pode impedi-los de tentar. Reforçar a linha ofensiva já é um grande primeiro passo.

Minessota Vikings: Dan Feeney, G, Indiana
Qualquer coisa que não seja o que os Vikings tem no elenco na linha ofensiva já pode ser considerado um reforço.

New England Patriots: Anthony Cioffi, S, Rutgers
A primeira escolha dos Patriots só vem na terceira rodada, nada que vá impedi-los de chegar ao Super Bowl (e provavelmente vencê-lo). Logo, a escolha de um safety de Rutgers que ninguém conhece não vai deixar os torcedores chateados. Enfim, o time não precisa dele mesmo.

*Rafael é administrador do @ColtsNationBr e diz que cancelou alguns compromissos para assistir o draft, mas nós sabemos que ele ia ficar em casa de qualquer jeito.

Tags: , , , , , , , , ,

COMPARTILHE