Liga Blake Bortles – Power Ranking Week 8

28/out/17


Olá amigos da liga Blake Bortles! A exemplo do que fizemos na semana 5, trazemos o conceito de Power Ranking para a liga de fantasy football. Fiquem de olhos bem abertos para quebra de preconceitos daquilo que fizemos há três semanas: com as 400 lesões (aproximadamente) que rolaram e todas as viradas que isso pode gerar, além das famosas regressões que jogadores sofrem, alguns times agora mostram a sua verdadeira cara. Aproveitem:

12 (-1) – SHOW ME WHAT YOU GOT (2-5)

Até tem AQUELE CANDIDATO a MVP da temporada, mas fora disso, o melhor jogador do time é o espírito de David Johnson. O fato da equipe ter participado com dois jogadores (Kenny Stills e Buck Allen, que são número 2 de Jarvis Landry e Aviante Collins) no duelo de mediocridade da quinta feira diz muito.

11 (-2) – Jujuba Skittles (1-6)

Provavelmente o time é mesmo um caso típico de excesso de azar. Mas quando o elemento azar está tão claro na nossa frente, não adianta brigar contra ele – quem sabe se desistirmos da equipe conseguimos ter o efeito de tirar essa zica.

10 (-6) – Ijuhy Drones (3-4)

Ao contrário do azar, não podemos acreditar que a sorte vai perdurar. Apesar de já ter acumulado três vitórias, a equipe tem uma média ridícula de pontos: não à toa, já que conta com os incríveis irmãos Benjamin e tem como RBs titulares Bilal e Bernard. A decadência chegará naturalmente e a torcida gaúcha não deve guardar esperanças.

9 (-2) – Água de Campinas (2-5)

À primeira vista, deveríamos apostar em uma melhora do time campineiro. Com um pouco mais de análise, encontramos Fat Rob titular e a dura realidade que Kelce e Watkins não produzirão tudo aquilo que gostaríamos. Existem times mais interessantes por aí.

8 (+4) – Miami Guiphins (2-5)

A exemplo do Água, deveríamos ter mais do Guiphins. Como nem tudo nessa vida de Cartola tem lógica, o time parece destinado a ganhar o Consolation. Cada um comemora o que tem.

7 (+3) – Reno Gunslingers (3-4)

Seria Chris Thompson o verdadeiro salvador? Não sabemos, mas com certeza é o cara mais surpreendente da franquia. A ascensão de Amari Cooper pode ser o que levará o time do GM Diego Altafini (que não é o último colocado acreditem) para voos mais altos.

6 (+2) – Curitiba Left Sharks (3-4)

Escalar Martavis Bryant a essa altura do campeonato é realmente justificar o nome de Left Shark (mesmo que as opções do banco sejam Kenny Britt e Robby Anderson). Ainda assim, o resto do time permitirá uma briga para perder na primeira rodada dos playoffs. Algo digno, mas que no fundo, não quer dizer nada.

5 (-4) – JOHN THE FISHERMAN (4-3)

Por causa de um bom início, esse time acabou em primeiro lugar no primeiro Power Ranking. A realidade chegou pesado nas últimas semanas em forma de três derrotas seguidas. O bom começo facilita a vida do time rumo à fase final, mas será difícil sonhar com título ao lado de Stewart e Ameer Abdullah (cadê as trocas?!).

4 (-1) – Gávea Vultures (5-2)

É aquilo, né, a dupla Zeke e McCoy é até melhor que Diego e Everton Ribeiro. Eles têm capacidade de carregar qualquer time nas costas (inclusive os próprios da vida real), mas não vai demorar para os Vultures tropeçarem na própria falta de complementos, assim comol Bills e Cowboys.

3 (+3) – Atlas Abranches (6-1)

A sorte ainda não os abandonou. seis vitórias em sete jogos praticamente garantem a equipe nos playoffs, porque tanta sorte não pode simplesmente virar azar do nada. Numa dessas Fournette marca 150 pontos em três semanas quando os playoffs chegarem e esse time nada mais que mediano acaba ganhando tudo.

2 (+3) – Coxa (quase) Leaders (5-2)

A escalação enquanto se escreve esse ranking é meio bizarra, mas as opções que o time tem são melhores do que qualquer outro competidor. Basta saber se o GM conseguirá sempre encontrar a melhor opção semana após de semana – por regra, normalmente qualquer escolha feia no fantasy é a errada.

1 (+1) – Pick Six (6-1)

É simples: o único time com uma média de 100 pontos por jogo merece ser o líder, especialmente porque as vitórias estão vindo (sempre tem uns que fazem um monte de ponto e perdem, né). Os pontos fracos da equipe hoje titular são Demaryius Thomas e C.J. Anderson – com Carlos Hyde no banco. Não há muito que comparar, apenas aceitar que quem lidera a temporada regular, no final da história, nunca ganha nada.

Tags: , ,

COMPARTILHE