Arquivo da categoria : Fantasy

Liga Brock e Liga Blake – Week #15

Sejam todos bem-vindos às semifinais!

Ou, pelo menos, os oito guerreiros que sobreviveram até aqui. Mais especificamente, os quatro (acertamos só a passagem de dois, infelizmente, um em cada liga. Os outros dois jogos erramos por pouco) que passaram da semana passada, já que os quatro líderes originais já estão nessa fase há alguns dias.

Essa semana também conta com os duelos pela 12ª colocação, entre Tabernáculo Ateu e Futebil e Regatas (em que os Ateus devem simplesmente continuar em espiral rumo ao fundo do poço) pela liga Brock – surpreendentemente sem o grandioso Tramandaí Bicuíras -, e entre Água de Campinas e Ijuhy Drones, que não passam de 70 pontos há séculos. Alguém se importa com análise e resultados deles? Nós não. Vamos ao que interessa:

Liga Brock, Parte I: Comissário contra Estancia

A medida que as coisas vão se afunilando, fica mais difícil afirmar quem vai sair vencedor. No nível de equilíbrio das semifinais, os pontos decisivos devem ser dados por alguma atuação fora do comum. Do lado do nosso Comissário (que, apesar de tudo, é o comissário com mais sucesso entre as duas ligas), fica a dúvida de se o todo poderoso New York Jets será destruído a ponto de Thomas e Kamara serem produtivos; se Kelce e Howard terão volume suficiente para criar felicidade; ou se Dak Prescott realmente VOLTOU. A lesão de Mixon tampouco ajuda (já que será substituído pelo novato Dedé, que recebe passes do lendário Zacarias Bortles).

Do outro lado, Estancia estará envolvido em um shootout entre Patriots e Steelers com três dos principais atores: Brown, Big Ben e Gronk (além de tudo, descansado). McCaffrey e Murray também têm interrogações sobre o volume que receberão, mas enfrentam adversários suscetíveis. Pelo menor número de dúvidas, a previsão é de uma Kerbfesta.

Liga Blake, Parte I: Guiphins e Gávea

275,72 pontos. É isso que essa especial dupla sertaneja somou na semana passada, sem contarem com nenhuma atuação que não possa ser repetida essa semana. Curiosamente, o Guiphins conta com a mesma dupla de RBs do Comissário da liga Brock, com as mesmas interrogações. Nuk não deverá repetir a mesma atuação contra Sacksonville. Portanto, o volume de Kenyan Drake (contra aquela defesa corrida dos Bills) e Russel Wilson (o MVP dos Seahawks) serão de crucial importância.

Do lado do Gávea, Dak e Alex Collins, contra a forte defesa de Cleveland, deverão ser os fatores decisivos. Os duelos Landry x Drake e Murray x Thielen dentro dos próprios times também deverão ser interessantes, já que uma big play de um pode destruir o valor de outro. Como Guiphins vem com mais ritmo de jogo, a vantagem fica em Miami.

Liga Osweiler, Parte II: Beagles versus Arcanines

Interessante jogo entre caninos aqui, inclusive com histórias de recuperação e fé parecidas, ainda que a do Beagles tenha sido mais tardia. Rodgers baleado se equivale a um Wilson desesperado por vencer. Os dois inconstantes recebedores de Ismaelssen também serão histórias interessantes para torcer – com total capacidade de decidir o jogo, especialmente porque Fournette deverá chegar no máximo a “sólido” contra Houston. Os dois RBs de Miami juntos novamente (Drake e Ajayi) entram no eterno drama de “precisam de mais volume”, e deverão ter, assim como o poderoso Greg Zuerlein.

Do lado do NOSSO Beagles, que tem sentido o efeito da corneta e finalmente parece ter ganho constância, muito parece que será decidido pelos running backs. Alfred Morris tem potencial para fazer vários pontos contra a porcaria que é Oakland, enquanto o lendário Le’Veon Bell parece estar esquentando nas últimas rodadas; como sempre, ele é quem garante a vantagem para os Beagles.

Liga Bortles, Parte II: JOHN enfrentando os Leaders

Os pontos projetados indicam equilíbrio extremo, mas todos sabem que os projetados mentem. Excetuando A.J. Green (que tem aquele encontro especial contra Xavier Rhodes), o resto do Leaders deve relembrar a época de temporada regular e voltar destruindo, descansados da bye na semana passada – especial Aaron Rodgers, louco para mandar um R-E-L-A-X. Thomas, Gordon, Williams e Davis, além do QB, não superarem os pontos projetados será algo bizarro, exceto em caso de lesão.

Do lado do Pescador, somente Brown parece certo de que alcançará os projetados. Gurley marcou 3 pontos contra Seattle no último confronto, enquanto Stewart, Witten e Crowder são grandes enganações que não têm lugar numa semifinal de playoffs (atenção: nem mesmo na vida real, muito menos no fantasy). Case Keenum e Alshon Jeffery até poderiam aprontar uma graça, mas com certeza serão insuficientes para vencer o Coxa.

Liga Brock e Liga Blake – Week #14

Chegaram os playoffs, amigos! A época mais esperada do ano e a luta pelos MIMOS vindos direto dos Estados Unidos agora está apenas entre 12 pessoas (6 em cada liga, né).

Quanto aos fracassos do Consolation, vocês estão mortos para nós. Semana que vem voltamos para discutir a disputa pelo último lugar, mas o resto… Fica para o ano que vem (tipo a temporada dos Packers e dos Giants).

Liga Brock Osweiler

A liga mais emocionante do século teve dois eliminados nos pontos marcados (ao melhor estilo rebaixamento do Coritiba). Dos jogos em que apostamos realmente, acertamos um, classificando o Bauru, e erramos outro, em que Cheesapeake eliminou Guanabara.

De qualquer forma, o maior destaque deveria ir para o ridículo duelo de 60 pontos entre Futebil e PackersBR – mas, como já havíamos comentados, vocês estão mortos para nós. Vamos aos jogos que realmente importam: os que decidirão os times que deverão ser atropelados por Estancia e Arcanines.

Bauru DireWolves acaba com o Comissário BADDEL

Esse jogo poderia ser bem mais equilibrado, talvez até pendendo a favor do Comissário da liga, mas o falecimento de Alvin Kamara aconteceu na quinta-feira. Adicionando a concussão de Joe Mixon que também o tira da disputa, além do iminente fracasso de Dak Prescott contra os Giants sem o peso morto chamado Bem McAdoo, as coisas estão bem complicadas.

Do outro lado, os DireWolves contaram com Devonta Freeman voltando à boa forma na hora certa. Tom Brady já estourou Miami há duas semanas e não há razão para que ele não repita o feito; Samaja Perine vai fazer o Chris Thompson e surpreender a todos, enquanto Green e Hopkins também podem seguir produzindo bem como têm feito nas últimas semanas.

Philadelphia Beagles vence Cheesapeake Rippers

Jogo complicado. Novamente, tudo parece depender de uma grande produção de Le´Veon Bell no horário nobre contra um adversário de divisão. O resto de jogadores parece enfrentar desafios bem parecidos: Wilson e Wentz (que dupla sertaneja!) enfrentam defesas complicadas; Allen e Cooks vão produzir bem, enquanto Watkins e Jeffery não.

Para vencer, o Cheesapeake dependerá de que algum de seus jogadores medianos resolva surpreender e até existe o potencial: Robby Anderson, Lamarzin ou Evan Engram – não são ideais, mas são por eles que os Rippers terão que rezar.

Liga Blake Bortles

Na outra liga homenageando um gênio da nossa liga favorita, o destaque da semana passada fica para a conquista do bye do Gávea Vultures por 7 jardas sobre o Comissário. Nosso Reno Gunslingers até tentou brigar e sonhou até os últimos jogos, mas não deu. Fica para a próxima, vamos a quem realmente importa:

Atlas Abranches sofre, mas vence JOHN THE FISHERMAN

O equilíbrio entre os times é grande – tudo entre eles é muito parecido. Fournette e Gurley jogam na segunda metade de jogos do domingo contra duas defesas complicadas para RBs. Antonio Brown e Brandin Cooks jogam no primetime – com a vantagem para Cooks por enfrentar uma defesa pior, mas Brown sendo Brown.

O resto de jogadores é igualmente equilibrado, mas sem tanta qualidade. Vantagem para Abranches no duelo com Engram contra Witten e Morris contra Abdullah. Esses pequenos detalhes deverão ser o que pesará a favor da franquia Atlas.

Miami Guiphins vence o duelo de pipoqueiros contra Pick Six 

A exemplo do Comissário da liga Brick, as esperanças de playoffs do Miami deveriam ter acabado junto com a cabeça arrancada de Alvin Kamara. Entretanto, o Comissário que o Guiphins enfrenta é pipoqueiro demais, especialmente porque Julio Jones não explodiu contra os Saints; além disso, não se pode ter muita esperança em Kareem Hunt mais, ou em secundários como Jamaal Williams, Jake Doyle e Marquise Goodwin.

Para suprir a falta de Kamara, Guiphins se apoiará nos seus WRs Hopkins e Evans, além de torcer para que Jordan Howard volte aos 30 toques na bola e produza o suficiente contra os maloqueiros de Cincinatti.

Liga Brock e Liga Blake – Week #13

Fala galera, beleza? Chegamos à semana derradeira da temporada regular das nossas amadas ligas de fantasy. Nesse domingo, teremos as definições das últimas vagas (faltam 6, entre 11 times nas duas ligas); quem seguirá no sonho do grande título e quem seguirá no sonho do prêmio de lanterna?

Nosso aproveitamento nas previsões da semana passada foi ridículo. Acertamos apenas a vitória de Bauru por 0.32 pontos contra o comissário da liga Brock Osweiler. Resta apenas olhar para o futuro:

Liga Blake Bortles

Coxa Leaders segue soberano e acabará em primeiro, o que praticamente acaba com suas chances de título. A outra vaga de descanso na primeira rodada está nas mãos do Comissário Cadu, que só precisa descolar a vitória para se garantir (que deverá vir se os inconstantes Jamaal Williams e Rex Burkhead continuarem recebendo volume); Gávea e JOHN THE FISHERMAN (que precisar marcar 15 pontos a mais que o comissário para conseguir a bye) correm por fora, mas devem ter melhor sorte continuando onde estão.

Garantidos à parte, a disputa interessante é realmente entre Atlas Abranches, Miami Guiphins e Reno Gunslingers. Surpreendentemente, ponto de competitividade para a parte de baixo da tabela, onde todos têm chance de conseguir um descanso na primeira rodada do Consolation – não que isso importe para alguém.

Atlas Abranches

Praticamente garantido há três rodadas, segue pipocando. Seu verdadeiro duelo consta em marcar no máximo 22 pontos a menos que o Reno Gunslingers. Também pode se garantir com vitória que parece praticamente garantida enfrentando o fraco Ijuhy Drones, que não tem nenhum jogador além do seu QB com mais de 10 pontos projetados, também se apoiando em Fournette contra Indianapolis e os medianos, porém importantes, WRs Kearse e Marvin Jones.

Miami Guiphins

Pedimos desculpas ao manager e torcedores do time porque sabemos que zicamos. De qualquer forma, o time ainda controla o seu próprio destino e deve chegar aos playoffs quente para brigar até mesmo pelo título, desde que se livre de Blair Walsh.

Lembranças de uma época em que queriam celebrar com Walsh.

 

Reno Gunslingers

Era para ter acabado na semana passada, mas a vida gosta de provocar e dar aquele fio de esperança. Para se classificar, o Reno precisa contar com a derrota do Guiphins ou do Atlas (neste caso, tirando a diferença de pontos marcados), além de ganhar o próprio jogo do nosso líder imbatível. O time está longe de ser bom com Marqise Lee, Duke Johnson e Lamar Miller, mas nada impede que cada um deles nos surpreenda; antes do Sunday Night Football começar deveremos ter uma resposta e, válido lembrar, se a surpreendente classificação ocorrer tem sorteio de prêmio.

Liga Brock Osweiler

A liga mais disputada do universo segue disputada. As first-round byes estão 99% garantidas nas mãos de Estancia Kerbfest e Ismaelssen Arcanines – só um desastre completo tira o descanso deles. Entretanto, sete times brigam pelas quatro vagas restantes, o que promete muitas emoções (finalmente) ao longo do domingo e até mesmo no Monday Night Football.

PackersBR

O time que um dia foi o claro campeão da liga chega à última rodada com chances ínfimas, mas não inexistentes. A combinação de derrotas (Beagles, Rippers, Baddel) deverá ser épica para acontecer a classificação, mas não custa nada torcer. Não vale perder tempo com análise do jogo; basta rezar.

Philadelphia Beagles

O NOSSO BEAGLES segue sendo carregado pela corneta. Infelizmente, o jogo dessa semana é o mais fácil que poderia ser – o que, no caso, pode tornar a situação dramática. Uma vitória deve garantir a classificação ainda que o número de pontos marcados seja algo a monitorar. Os 18 pontos de Alfred Morris no banco e a falta de alternativa a Amari Cooper, além de jogos potencialmente complicados para todos os jogadores do time, podem acabar gerando drama até Le’Veon Bell, inevitavelmente, destruir Cincinatti na segunda-feira.

Chegando para decidir por todos.

Comissário BADDEL

Parece bem provável que, como previmos desde o começo da temporada, o líder-mor dessa liga acabe sequer chegando aos playoffs. Depender de uma vitória contra o líder Estancia, que já emenda uma sequência de cinco triunfos (incluindo 150 pontos na semana 12) é garantia de tristeza. Agholor e Mixon não serão páreos para Antonio Brown e Christian McCaffrey; São Alvin Kamara (ou seria o DEUS?) ainda pode ser invocado, mas a situação é complicada.

Só a vitória interessa

Passamos agora aos confrontos diretos e começamos com algo curioso: ainda que ambos já tenham chegado ao mágico número de sete vitórias, provavelmente só um dos dois sairá classificado do duelo entre Bauru DireWolves e São Paulo Talibikers, devido ao baixo número de pontos marcados. Ambos dependerão de jogadores de Atlanta que, devido ao confronto contra Minnesota, deverão encontrar dificuldades.

A balança pesa a favor de Bauru devido aos melhores matchups que Tom Brady, DeAndre Hopkins e Dion Lewis terão pela frente; do lado dos paulistanos, somente Hyde deverá enfrentar uma defesa mediana: Ertz pega Seattle, enquanto Duke Johnson baterá de frente contra o Chargers. Como matchups podem ser apenas ilusão, fica a dica de um jogo emocionante para se acompanhar.

Guanabara Bay Pombos elimina Cheesapeake Rippers

Time que já foi queridinho dessa coluna anteriormente, o Rippers deverá mesmo se dedicar ao Consolation nas próximas semanas. A definição ficará para o final da tarde, com muitos jogadores envolvidos nesses jogos mais tardios, mas a conclusão visual parece claro por falta de brilho do lado do Cheesapeake: o MVP Carson Wentz enfrentará a desfalcada, mas sempre grande defesa de Seattle, além da combinação de interrogações entre Watkins, Miller e Murray.

Do outro lado, o Guanabara está praticamente classificado, mas preferiria vencer para não depender de ninguém. Mark Ingram deverá voltar a ter oportunidades no melhor jogo corrido da liga, enquanto Doug Baldwin, Larry Fitzgerald e Greg Olsen serão peças importantes para seus times nessa reta final de NFL, pelo que tem que voltar a receber um maior volume de bolas.

Liga Blake e Liga Brock – Week #12

E aí, amigos do fantasy? Preparados para essa penúltima semana?

Na liga Blake Bortles, seguimos com aquele tradicional aproveitamento de 50% – mas errando dois jogos por 1 ponto ou menos, o que mostra que Cadu e o senhor Atlas são apenas cagados, não que sejamos ruins de palpite. De qualquer forma, nenhum dos dois resultados parece ter realmente afetado os playoffs, já que, a menos que algo bizarro ocorra, só está em disputa uma vaga entre Miami Guiphins (contando com uma impressionante performance de 0 pontos de Vernon Davis) e Reno Gunslingers (em uma disputa interessante contra nosso Atlas Abranches, que tem o incrível Marvin Jones equilibrando o medíocre Evan Engram).

Por outro lado, na liga Brock Osweiler, também conhecida como a mais disputada do universo, também acertamos somente 50% dos jogos (sem muita desculpa de proximidade aqui). Entretanto, como bônus, tivemos a ressurreição aparente de Beagles e PackersBR (contra nosso comissário… Conseguimos zicar). Não coincidentemente, esses dois times enfrentam os únicos dois que podem garantir seu lugar nos playoffs ao lado dos Arcanines: Estancia e Pombos.

Como a semana 12 já vai bem adiantada (inclusive já é sábado), o comentário do fantasy dessa semana será mais rápido, preparando algo melhor para a semana 13. Especialmente, aos mortos, voltaremos a falar de vocês quando chegarem na final derradeira do Consolation (aquela, que vale prêmio, do duelo entre 11º e 12º lugar):

Entrando em campo com sua liga.

Liga Blake Bortles

Cadu, pare de pipocar apenas e ganhe um jogo em que você tem mil pontos de vantagem nos projetados (especialmente com Hunt contra Buffalo e Newton contra os Jets, além de Julio e Ertz precisando pegar fogo). Aos que esperam jogos bons, o primeiro e segundo colocado se enfrentam apenas por posições nos rankings – ainda o Gávea ainda possa garantir a first-round bye e a inevitável eliminação na segunda rodada, talvez, se vencer. Mas sigamos aos jogos relevantes:

Miami Guiphins praticamente se garante contra JOHN THE FISHERMAN

Típico comentário para zicar, mas precisamos fazer de qualquer maneira. O nosso pescador parrudo dependerá de grandes jogos de Gurley & Goff – possível contra a hipotética defesa medíocre dos Saints, mas mais complicado contra essa boa defesa que surgiu diante dos nossos olhos. Tudo indica que New Orleans repetirá o que Minnesota fez e fará de tudo para parar Gurley – botando Goff para tentar decidir.

Do outro lado, Alvin Kamara também será parte importante desse shootout. Hopkins e Evans farão parte de jogos que também deverão ter muitos pontos, pelo que terão muitas oportunidades para ajudar o Guiphins. Para fechar, Russel Wilson deverá decidir o jogo rapidamente contra San Francisco, mas como ele é o último em Seattle que não virou zumbi, marcará pontos suficientes para liderar o time à vitória.

Reno Gunslingers

Como Atlas Abranches já está classificado e conseguiu o feito de perder por um ponto na semana passada, falemos do time que realmente importa aqui, e que tem uma das tarefas mais ingratas para se sentir no direito de sonhar. Com 150 pontos a menos, uma diferença impossível de tirar em 2 jogos, precisa rezar para que o Guiphins (ou PickSix ou Atlas ou John) perca seus dois jogos – o que já parece impossível, vide comentários anteriores.

Se conseguir isso, precisa superar, além do Atlas, o nosso Coxa Leaders na semana 13. Tudo isso enquanto Blake Bortles, Duke Johnson e DeSean Jackson figuram entre os starters. A quem está acostumado a nos seguir no Twitter, sabe o que a gente faz em um momento desses: se Gunslingers chegar aos playoffs, tem sorteio de um prêmio ainda não definido.

Oh, você ainda está lendo?

Liga Brock Osweiler

O time de Ismaelssen (¿) parece estar descansando e deve garantir mais uma semana de esperança para nossos queridos Reapers. Outro elemento interessantíssimo da disputa pesada na liga em homenagem ao maior seguidor de Matt Flynn da história é o equilíbrio em número de pontos marcados: entre o terceiro e décimo, a diferença entre o que tem o maior número de pontos (Pombos) e o que tem menor (Talibikers – que pega o time que menos faz pontos na liga e já deve chegar à sétima vitória tranquilamente) é de menos de 100 – com muita disputa na parte intermediária da tabela.

Por isso, mais que cada vitória, cada mísera jarda conquistada importa. A semana que vem promete, mas essa semana também traz alguns confrontos interessantes (a regra Tramandaí segue sendo aplicada ao Futebil e Regatas: perdeu para o Tramandaí, deveria cair fora):

Bauru DireWolves complica a vida do nosso Comissário BADDEL

Dak Prescott conseguiu fazer apenas 1.80 pontos na semana 11; não satisfeito, nosso menino Rafa disse para si mesmo que não poderia ser pior. E talvez ele esteja certo, porque afinal 5.16 são mais pontos – mas em um jogo decisivo, dificilmente será suficiente. O difícil jogo de Jordan Howard contra Philadelphia e de Kupp contra New Orleans fará com que falte suporte para se recuperar.

Do outro lado, devemos acreditar na medianidade dos DireWolves: Tom Brady terá que realmente destruir Miami, enquanto, ao contrário de como apostamos na semana passada, é impossível que os skill players de Bauru não descolem pelo menos uns 3 TDs. Deverá ser suficiente.

Guanabara Bay Pombos mostra que nada salva o Philadelphia Beagles

Só a corneta salva, diz um dos maiores ditados da nossa geração. Não à toa, parece que foi apenas a torcida (nós) dos Beagles pressionar e desistir que o time voltou a respirar – por pouco tempo. Esperar 20 pontos de Le’Veon Bell é irreal, assim como esperar que Jeffery & Cooper continuem na sequência de recepções constante de TDs.

Do outro lado, a falta de realidade fica por conta de Mark Ingram, mas ele está on fire e a defesa dos Rams está cada dia mais desacreditada. Greg Olsen também promete fazer valer a fidelidade e paciência dos Pombos, voltando a ser aquele alvo importantíssimo para Cam Newton. Desde que Kareem Hunt, Brees e Baldwin não decepcionem muito, o Beagles começa a tomar o rumo de casa.

A decadência contra o crescido na hora certa

É necessário admitir: por mais surpreendente que seja, o PackersBR, em modo zumbi, saiu muito bem na Quinta Feira de Ação de Graças. Obviamente, a falta de opções fará o time contar com Adrian Peterson; entretanto, é possível acreditar que ele, somado a Todd Gurley, possa contribuir com combinados 28 pontos – mas talvez seja necessário mais para descolar uma vitória e seguir sonhando.

Isso porque do outro lado está o poderoso Estancia Kerbfest, que tampouco teve uma quinta feira ruim. Além disso, é hoje provavelmente o time mais equilibrado da liga: o elo mais fraco é Latavius Murray, que já garantiu o seu TDzinho semanal. Garantir a vitória será praticamente garantir também uma folguinha na primeira rodada dos playoffs (lembrem, isso provavelmente acaba com eliminação no primeiro jogo disputado da fase final).

Liga Blake Bortles – Week #11

Alô, alô, liga Blake Bortles! Depois de uma semana falha, voltamos com tudo para trazer as previsões da liga mais querida da PickSix Enterprises. Além disso, estamos aqui para falar daquilo que mais importa em uma temporada de fantasy: quem vai para o consolation!

Já que, obviamente, já temos um campeão definido (ou pelo menos uns três). Confira, com aquela estimativa de chances de matemático da Rede Globo entre parênteses:

Obrigado Thursday Night Football

JOHN THE FISHERMAN (63%) faz um altar para AB84 pela vitória contra Ijuhy Drones (6%)

Toda semana, um jogo fica praticamente definido na quinta-feira (por isso o melhor dia para fazer preview é a sexta). Dessa vez, não foi diferente, com direito a catch com a cabeça. Embalados pelo companheiro, Goff, Gurley e Darkwa deverão ser suficientes para a vitória. Será porque o outro lado não tem skill-players (o melhor, DeMarco Murray, já jogou e decepcionou). Esperar uma vitória com Benjamin, Cohen e Gillislee é no mínimo ousado.

Duelo dos desesperados

Água de Campinas (0,5%) se abraça e afunda Reno Gunslingers (1%)

Aquele belo exemplo de jogo que todo mundo precisa ganhar para poder manter a chama acesa. Ao mesmo tempo, o jogo envolve Blake Bortles, Sammy Watkins e Ty Montgomery. Não fica difícil saber como chegamos a esse ponto. Os Gunslingers têm como maior esperança Mark Ingram, que infelizmente não enfrenta a defesa de Buffalo toda semana – então deve voltar a ser mediano. Os campineiros devem ficar com a vantagem ao ter Brady, Diggs e um Tevin Coleman titular em Atlanta, querendo mostrar serviço em cada oportunidade extra que receber.

Como combinar um empate?

Atlas Abranches (Classificado) vence Gávea Vultures (99,5%)

Se fosse possível, esses dois times fariam um acordo de empatar e deixar para brigar nos playoffs. Como conseguir tal façanha é mais difícil no fantasy que jogar normalmente, o derrotado garantirá seu lugar vencendo nas próximas rodadas.

Os times são bem equilibrados, mas Atlas leva a vantagem porque tem o lendário Fournette e Jesse James marcou um TD, o que seria equivalente (em probabilidade) a Murray e Collins marcarem TDs pela Gávea, o que não acontecerá. Portanto, vantagem Abranches.

Essa lenda mesmo, bicho.

Não pode errar

Miami Guiphins (78%) segue em recuperação contra SHOW ME WHAT YOU GOT (0%)

Falar do SHOW é como gastar espaço, né. 7 derrotas tira qualquer chance de classificação e talvez seja hora de se preparar para o Consolation: para perder todos os jogos, no caso. É altamente provável que o kicker seja o maior pontuador. Do outro lado, o Guiphins segue em ascensão e já é o time com maior número de pontos (o que o torna campeão da Liga Cartola Bortles, ganhando exatamente nada). Todo o time titular é (ou se tornou) bom, o que é realmente uma grande conquista. Se chegar mesmo aos playoffs, é um dos favoritos.

O líder

Coxa Leaders (114%) acaba com os sonhos do Curitiba Left Sharks (à espera de uns milagres %)

Quando o seu kicker faz 19 pontos e mesmo assim seus pontos projetados não chegam a 90, você já foi pro saco. Não surpreende, obviamente, já que depender de Martavis Bryant e LeGarrette Blount em pleno 2017 é apenas triste. Left Sharks fica na esperança de ter alguma relevância no Consolation (não terá).

Por outro lado, quando o kicker adversário faz 19 pontos e sua vitória parece fácil, o futuro deverá ser brilhante. Poucos nomes são tão bem escolhidos quanto Leaders no caso atual; Wentz, Thomas e Gordon, como trio, seriam melhores que mais da metade dos times da liga. Coxa mantém a liderança e garante a bye na primeira rodada dos playoffs – o que, qualquer um que jogue fantasy há um bom tempo sabe, não é bom sinal.

O campeão que está na vontade de pipocar

PickSix (91%) não pipoca dessa vez contra Jujuba Skittles (0%)

Tendo controlado a liderança e o título durante quase todo o campeonato, nosso comissário Cadu tem surpreendentemente fraquejado nas últimas duas partidas, obviamente resultado da regressão à média de Kareem Hunt, falta de Zach Ertz e um QB decente, além de punição universal pela escalação da dupla de anti-feras Thomas e Parker.

Ainda assim, o time de Jujuba é mais mole que gelatina, mais sem graça que os próprios Skittles (don’t @ me) e acabará cedendo a derrota, especialmente já que sua única esperança (Le’Veon Bell) correspondeu às expectativas de ter um jogo abaixo do esperado na quinta, facilitando a previsão.

Liga Brock Osweiler – Week #11

Olá, amigos! Estamos de volta após uma semana conturbada (eu esqueci) sem previews do fantasy. E voltamos naquela grande época do ano, em que garotos e garotas só pensam em uma coisa: Revéillon? A disputa pegando fogo na NFL? Não! É hora de sonhar com os playoffs do Fantasy!

E na nossa liga mais disputada da história (é a primeira, mas ainda assim está bem apertada, não é?), se você não é o último ou o nono colocado (mais sobre este curioso caso em breve), você ainda está sonhando forte e fazendo os cálculos. Para ajudar com eles, voltamos a mais um preview!

PS1: já que a galera nem cogita ajeitar o time antes de quinta-feira, vai sem print mesmo.

PS2: ATENÇÃO ÀS PORCENTAGENS EM PARÊNTESES COM CHANCE DE CLASSIFICAÇÃO DIGNAS DE GLOBOESPORTE

O jogo do eliminado

Estancia Kebfest (99%) vence Tramandaí Bicuíras (matematicamente eliminado)

Somente um time está matematicamente eliminado. O outro está moralmente eliminado justamente porque perdeu para esse time (mais sobre ele a seguir). O Tramandaí Bicuíras fez uma última graça antes de morrer na rodada passada, mas deve voltar ao seu estado de ameba essa semana: Devin Funchess, Ed Dickson e Marquise Goodwin (bela história) fizeram a diferença na vitória da semana passada e desfalcam (!) a equipe.

Do outro lado, Big Ben e Antonio Brown formam uma boa dupla contra os frágeis Titans. Somá-los a Tevin Coleman sem Freeman e Gronk é overkill. Estancia, ainda mais com o segundo maior número de pontos da liga, estará garantido nos playoffs antes do fim da primeira leva de jogos no domingo.

A porra dos Beagles

Ismaelssen Arcanines (O LÍDER JÁ GARANTIDO) elimina Philadelphia Beagles (15%)

Poucos times receberam tanto apoio quanto Beagles. Vai semana, vem semana, aqui anunciamos vitórias e nos decepcionamos. Como todo time que fica eternamente no “agora vai”, Philadelphia inevitavelmente chega a um jogo que tem que “vencer ou vencer” e inevitavelmente perderá. Le’Veon Bell terá um jogo complicado contra a defesa contra o jogo corrido de Tennessee – e o resto do time produzirá ali, na consistência média.

O nosso líder Pokémon, carregado pelo seu monstrinho favorito, Leonard Fournette, vem para garantir mais uma vitória e a first-round bye. Normalmente times de fantasy que descansam a primeira rodada dos playoffs acabam decepcionando depois – talvez uma estratégia para o Ismaelssen seja entregar uns jogos aí para não parar de jogar. Curiosidade: o único outro time (mais sobre o segundo em breve) a perder para os Bicuíras foi o nosso atual líder.

Para continuar sonhando

Bauru DireWolves (47,5%) mantém as esperanças contra Tabernáculo Ateu (2%… negativo)

Bauru já esteve lá nas cabeças e parecia destinado a um caminho tranquilo para os playoffs. Em uma temporada de tiro curto, três derrotas seguidas te empurram rapidinho para o precipício – mas a exemplo dos dois vitoriosos acima, os DireWolves têm a sorte de pegar um jogo fácil, especialmente porque não deveremos ver um bom jogo de nenhum jogador do seu time além de Tom Brady (sério, incluindo kicker e defesa).

Do lado do Tabernáculo, só podemos olhar a bela formação daquele tipo de time que, ao longo do ano, vai perdendo suas peças importantes e, ajeitando ou não (às vezes parece que não), a derrota vem certa e cruel toda rodada. Fica para o ano que vem.

Estamos de volta!

Quem ganhar tá lá (talvez)

Guanabara Bay Pombos (86%) se classifica sobre São Paulo Talibikers (50%)

Mike Gillislee e Duke Johnson contra Mark Ingram e Kareem Hunt é claramente uma disputa muito injusta para ser julgada. Somando a isso uma boa performance de qualquer um dos WRs, os Pombos deverão vencer facilmente e também encaminhar sua participação nos primeiros playoffs da história da Liga Brock Osweiler.

Os recebedores dos Talibikers também são interessantes, especialmente somando aí o retorno de Zach Ertz. Apesar da provável derrota por não ter corredor essa semana, fato interessante é apontar a sorte dos paulistas até aqui: mesmo com um número de pontos próximo ao do Tramandaí, o time conseguiu acumular seis vitórias. Se conseguir chegar, esse tipo de sorte pode fazer um campeão.

Garantindo o último suspiro

Futebil e Regatas (51%) acaba com Cheesapeake Rippers (33%)

Outro time que já recebeu vários elogios dessa coluna foi o de Cheesapeake. Não surpreendentemente, é outro que está afundado em um 4-6 e destinado ao Consolation, já que dependerá de Lamar Miller (perdendo espaço), Sammy Watkins e Keenan Allen produzindo bem – algum deles pode até conseguir, mas os três juntos, parece complicado. Nem Wentz destruindo a defesa dos Cowboys deverá ser diferente.

E precisariam todos produzir porque, do outro lado, estarão Adam Thielen, Mike Evans e Melvin Gordon (contra a defesa de Buffalo que, mesmo colocando Tyrod Taylor no banco, não deve melhorar). Os jogadores “complementares” deverão ser bem escolhidos pelo manager do Futebil para se garantir na briga pelos playoffs.

O time que perdeu para o Tramandaí

Comissário BADDEL (78%) vence o eterno derrotado PackersBR (27,82%)

Enquanto essa prévia é escrita, os pontos projetados apontam uma vitória altamente provável a favor dos Packers; mas duas coisas jogam contra isso: primeiro que o time do nosso Comissário não está completamente arrumado (péssimo exemplo), e segundo que o Packers está se assumindo como um fracasso completo da natureza, perdendo para o time de amebas já mencionado – desde que se sagrou campeão lá na quarta rodada, PackersBR não ganhou de mais ninguém. Ninguém mesmo.

Do outro lado, o feijão com arroz e a fé em tipinhos como Jordan Howard, Michael Thomas e Dak Prescott está pagando dividendos, já que uma vitória nessa partida deve botar o time em excelente posição para brigar pelo título (que, como Comissário, não poderá vencer porque tem que dar a chance para os clientes).

Liga Brock Osweiler 2017 – Week #9

Mais uma semana da historicamente liga de fantasy mais equilibrada das ligas de fantasy. Sério. Só chutamos os resultados e toda semana coisas aleatórias acontecem – e normalmente estamos certos.

Comissário Baddel (4-4) vencerá Tramandaí Bicuíras (1-7)

A tentação de apostar contra o Comissário, rodada após rodada, é enorme. Mas o bom senso nos impede: olhar esse roster do Tramandaí Bicuíras é pedir para entrar em depressão profunda. E mesmo que os comandados de Baddel não tenham nenhum grande destaque individual, manter a pontuação média já será suficiente. O Bicuíras briga pelo prêmio de pior time e deve focar nisso.

Bauru DireWolves (5-3) vencerá Ismaelssen Arcanines (6-2)

Duelo de líderes e, no final da semana, troca na liderança. Devonta Freeman e a defesa de Houston (chora, Comissário!) carregarão o DireWolves até a vitória. Nem mesmo os 30 pontos de SACKSONVILLE (é você quem financia essa merda) serão suficientes, afinal, Wil Fuller perdeu seu melhor amigo e Blount carregará para apenas 7 jardas contra Denver – mas não se iluda: mesmo assim o Eagles vencerá.

Chesapeake Rippers (3-5) vencerá PackersBR (4-4)

A lesão de Aaron Rodgers acabou com o ÂNIMO do PackersBR; de então melhor time, agora resta aspirar uma honrosa (?) nona colocação. Já são quatro derrotas seguidas, e o quinto revés já bate a porta. Essa semana, os cabeças de queijo serão derrotados por Lamar Miller e Carson Wentz. O início do fim para uma temporada que começou promissora.

Guanabara Bay Pombos (4-4) profanará Tabernáculo Ateu (4-4)

Nem Jesus salva o Tabernáculo nesta rodada. Apenas Kareem Hunt (que salvará o mundo) e Mark Ingraam já seriam suficientes para garantir a vitória. Mesmo assim eles ainda contarão com uma atuação de GALA de Douglas Baldwin (que mesmo assim não será suficiente para a vitória na vida real do Seahawks) e duas pick six da defesa do Saints (meu Deus!). O Tabernáculo, se escalar o time, somará 60 pontos – do contrário, pode comemorar 30.

São Paulo Talibikers (5-3) atropela Futebil e Regatas (4-4)

Escalem os times. Depois olhem a dupla de RBs da franquia amazônica. Impossível levar esse time a sério. Vitória fácil sob duas rodas.

Philadelphia Beagles (4-4) vencerá Estancia Kerbfest (4-4)

A ascensão do time de nome mais simpático da liga segue firme e forte. Amari Cooper e CJ Anderson serão os destaques de mais uma vitória apertadíssima – Crabtree e Cam Newton terão boas pontuações, assim como a defesa de Baltimore (o Titans ainda existe?). Mas não será suficiente, já que a derrota virá em um chute de 50 jardas de Matt Bryant.

Liga Blake Bortles 2017 – Week #9

Reta final da temporada regular, já sabemos quem vencerá a Liga e faturará um prêmio inesquecível – por ora, porém, nos reservamos a adiantar apenas os resultados desta semana.

Atlas Abranches (6-2) vence Pick Six (7-1)

No duelo dos líderes, uma vitória, até certo ponto, surpreendente. O comissário será punido por confiar em Demaryus-não-faço-TDs-Thomas em pleno 2017. Além disso,  Kareem Hunt não é mais o mesmo – mesmo que ainda vá salvar o mundo. No fundo, os confrontos do Abranches são mais favoráveis: Crabtree somará meia dúzia de touchdowns e Fournette destruirá o que ainda resta do Bengals. O time contará ainda com mais uma boa atuação do melhor kicker do Fantasy (chora, torcedor brasileiro).

Curitiba Left Sharks (3-5) deixa 50 pontos no banco e mesmo assim vence Água de Campinas (2-6)

Tyrek Hill, Dez Bryant e Matt Ryan se juntaram a já boa pontuação de Ryan Anderson e serão suficientes para vencer o time mais água-com-açúcar da liga – que contará apenas com uma atuação inspirada de Travis Kelce para não passar tanta vergonha.

John The Fisherman (5-3) vencerá Gávea Vultures (6-2)

Olhando a escalação para essa partida, nos questionamos como o Gávea chegou a seis vitórias – quando (se) Elliott for suspenso então, a temporada acabará, apesar da classificação ser uma realidade palpável. Para o duelo desta semana, não há em quem confiar além do RB que corre da polícia como corre em direção a endzone.

Pryor é uma das decepções da temporada e a dupla Landry e Jared Cook inspira pouca ou nenhuma confiança. De qualquer forma, apenas a pontuação de Jared Goff (aceitem, haters) e Todd Gurley já será suficiente para uma vitória tranquila.

Show Me What You Got (2-6) vencerá Reno Gunslingers (3-5)

Não analisamos jogos de times que estão tankando – mesmo assim, a franquia é tão incompetente em seu propósito que sairá vencedora, simplesmente porque o destino do GM Diego Altafini é perder.

Ijuhy Drones (3-5) escala o time e vence Miami Guiphins (3-5)

O Drones escalará Jordy Nelson, DeMarco Murray e SACKSONVILLE e vencerá com facilidade o Miami Guiphins – que hoje é o pior time da liga, assim como o Miami Dolphins é o pior time da NFL. Não discutam, apenas aceitem.

Coxa (agora quase) Leaders (6-2) vencerá Jujuba Skittles (2-6)

A franquia sediada no Alto da Glória parte rumo ao topo, para fazer jus ao seu nome. Carson Wentz é o MVP, que tem ao seu lado meia dúzia de pontuadores minimamente confiáveis. O time do Skitlles, mais uma vez, confia em Bress (não será suficiente) e tenta se sustentar no carisma de seu GM.

Liga Blake Bortles – Power Ranking Week 8

Olá amigos da liga Blake Bortles! A exemplo do que fizemos na semana 5, trazemos o conceito de Power Ranking para a liga de fantasy football. Fiquem de olhos bem abertos para quebra de preconceitos daquilo que fizemos há três semanas: com as 400 lesões (aproximadamente) que rolaram e todas as viradas que isso pode gerar, além das famosas regressões que jogadores sofrem, alguns times agora mostram a sua verdadeira cara. Aproveitem:

12 (-1) – SHOW ME WHAT YOU GOT (2-5)

Até tem AQUELE CANDIDATO a MVP da temporada, mas fora disso, o melhor jogador do time é o espírito de David Johnson. O fato da equipe ter participado com dois jogadores (Kenny Stills e Buck Allen, que são número 2 de Jarvis Landry e Aviante Collins) no duelo de mediocridade da quinta feira diz muito.

11 (-2) – Jujuba Skittles (1-6)

Provavelmente o time é mesmo um caso típico de excesso de azar. Mas quando o elemento azar está tão claro na nossa frente, não adianta brigar contra ele – quem sabe se desistirmos da equipe conseguimos ter o efeito de tirar essa zica.

10 (-6) – Ijuhy Drones (3-4)

Ao contrário do azar, não podemos acreditar que a sorte vai perdurar. Apesar de já ter acumulado três vitórias, a equipe tem uma média ridícula de pontos: não à toa, já que conta com os incríveis irmãos Benjamin e tem como RBs titulares Bilal e Bernard. A decadência chegará naturalmente e a torcida gaúcha não deve guardar esperanças.

9 (-2) – Água de Campinas (2-5)

À primeira vista, deveríamos apostar em uma melhora do time campineiro. Com um pouco mais de análise, encontramos Fat Rob titular e a dura realidade que Kelce e Watkins não produzirão tudo aquilo que gostaríamos. Existem times mais interessantes por aí.

8 (+4) – Miami Guiphins (2-5)

A exemplo do Água, deveríamos ter mais do Guiphins. Como nem tudo nessa vida de Cartola tem lógica, o time parece destinado a ganhar o Consolation. Cada um comemora o que tem.

7 (+3) – Reno Gunslingers (3-4)

Seria Chris Thompson o verdadeiro salvador? Não sabemos, mas com certeza é o cara mais surpreendente da franquia. A ascensão de Amari Cooper pode ser o que levará o time do GM Diego Altafini (que não é o último colocado acreditem) para voos mais altos.

6 (+2) – Curitiba Left Sharks (3-4)

Escalar Martavis Bryant a essa altura do campeonato é realmente justificar o nome de Left Shark (mesmo que as opções do banco sejam Kenny Britt e Robby Anderson). Ainda assim, o resto do time permitirá uma briga para perder na primeira rodada dos playoffs. Algo digno, mas que no fundo, não quer dizer nada.

5 (-4) – JOHN THE FISHERMAN (4-3)

Por causa de um bom início, esse time acabou em primeiro lugar no primeiro Power Ranking. A realidade chegou pesado nas últimas semanas em forma de três derrotas seguidas. O bom começo facilita a vida do time rumo à fase final, mas será difícil sonhar com título ao lado de Stewart e Ameer Abdullah (cadê as trocas?!).

4 (-1) – Gávea Vultures (5-2)

É aquilo, né, a dupla Zeke e McCoy é até melhor que Diego e Everton Ribeiro. Eles têm capacidade de carregar qualquer time nas costas (inclusive os próprios da vida real), mas não vai demorar para os Vultures tropeçarem na própria falta de complementos, assim comol Bills e Cowboys.

3 (+3) – Atlas Abranches (6-1)

A sorte ainda não os abandonou. seis vitórias em sete jogos praticamente garantem a equipe nos playoffs, porque tanta sorte não pode simplesmente virar azar do nada. Numa dessas Fournette marca 150 pontos em três semanas quando os playoffs chegarem e esse time nada mais que mediano acaba ganhando tudo.

2 (+3) – Coxa (quase) Leaders (5-2)

A escalação enquanto se escreve esse ranking é meio bizarra, mas as opções que o time tem são melhores do que qualquer outro competidor. Basta saber se o GM conseguirá sempre encontrar a melhor opção semana após de semana – por regra, normalmente qualquer escolha feia no fantasy é a errada.

1 (+1) – Pick Six (6-1)

É simples: o único time com uma média de 100 pontos por jogo merece ser o líder, especialmente porque as vitórias estão vindo (sempre tem uns que fazem um monte de ponto e perdem, né). Os pontos fracos da equipe hoje titular são Demaryius Thomas e C.J. Anderson – com Carlos Hyde no banco. Não há muito que comparar, apenas aceitar que quem lidera a temporada regular, no final da história, nunca ganha nada.

Liga Brock Osweiler 2017 – Power Ranking Week #8

Fala galera da liga do site e parentes desses incríveis seres que jogam e passam vergonhas semanais na nossa liga. Todo mundo bem e feliz? Será que o Comissário parou de passar vergonha? É lógico que não. Além disso, ao contrário da liga que tem nome em homenagem a um QB que efetivamente faz parte da Liga Nacional de Football, a nossa ainda promete muitas emoções.

Como erramos apenas um jogo na semana passada (nada além do esperado), nos premiamos nesta com um REVIEW do Power Ranking da semana 5 por duas razões: todos amam PR e nada (ou quase) daquilo que falamos há três semanas é válido. Confira com a gente (e arrumem os times, caralho!):

12 (0) – Tramandaí Bicuíras (1-6)

Ok, sobre algo estávamos certos no ranking passado. O time do Tramandaí é um lixo e tem jogadores como Brandon Coleman, Jalen Richard e Paul Richardson como titulares. Não vamos mais perder tempo com os Bicuíras; nada além de dar os parabéns ao Ismaelssen (hoje líder!) que perdeu para eles na semana 2.

11 (-3) – Tabernáculo Ateu (4-3)

A exemplo de Tramandaí, esse time é composto de jogadores que talvez nem existam na realidade. Mohamed Sanu e O.J. Howard só são relevantes (talvez) na vida real. Ainda há tempo para David Johnson voltar e salvar a temporada com uma arrancada para os playoffs; mas até ele aparecer, a mediocridade é o destino.

10 (0) – Futebil e Regatas (3-4)

Não foi por falta de esforço, mas o time de Futebil descolou a vitória mais ridícula imaginável com seus 50 e poucos pontos na semana 7. De qualquer forma, a inconsistência é sempre regra entre times que dependem de WRs no fantasy e o Regatas mostra isso – entretanto, se continuar com essa sorte, pode acabar mais alto do que prevemos.

9 (+2) – Comissário BADDEL (3-4)

O crescimento no ranking diz mais sobre a mediocridade dos adversários e menos sobre o próprio Comissário. Por um momento, parecia que tudo ia melhorar para os lados do dono da liga, mas a regressão à média (nesse caso, os 80 pontinhos semanas) puxou o time para o seu devido lugar.

8 (-2) – Chesapeake Rippers (2-5)

A semana 7 foi o que esperávamos que os Rippers fizessem em todas as outras semanas. Entretanto, tirando essa, o resto foi de pura mediocridade abaixo dos 80 pontos, como mostra a campanha de apenas duas vitórias. Uma boa sequência de jogos pode voltar a trazer sonhos para a torcida, mas fica difícil acreditar que eles realmente melhorarão o suficiente para chegar aos playoffs.

7 (-6) – PackersBR (4-3)

Zicamos, e zicamos muito forte. Desde que apontamos a franquia como “máquina que parecia imbatível”, a equipe que homenageia os cabeças de queijo entrou em espiral rumo ao fundo do poço. É verdade que as byes tem pesado – além da má sorte (ou habilidade) de escalar jogadores que simplesmente não encostam na bola. Nesse ritmo, o time que outrora sonhava com um título antecipado pode acabar fora até mesmo dos playoffs.

6 (-1) – Bauru DireWolves (5-2)

Ok que a equipe engrenou três vitórias nos últimos três jogos, mas quanto disso não é apenas sorte? Quanto disso não é apenas um time que aposta em Jarvis Landry e Jamaal Charles vencendo eventualmente apenas porque os deuses do Football querem rir um pouco da nossa cara?

5 (+2) – Estancia Kerbfest (3-4)

Outro time que esboçou uma recuperação e fez boas partidas carregado por boas atuações de suas estrelas. Quando tudo acontece normalmente, Estancia é apenas mediano e nem deveria estar tão alto no ranking. Quando a defesa de Baltimore ou o TE da equipe fazem 2 TDs ou mais, eles DEIXAM A TORCIDA SONHAR.

4 (-1) – São Paulo Talibikers (5-2)

Outro líder em que não acreditamos: um time sem running back é um time sem alma. O volume é até legal e as vitórias virão (a exemplo das três em sequência), mas na hora da verdade é aquele corredor com 75 carries em dois jogos que te dá o título. Quem viver, verá.

3 (-1) – Guanabara Bay Pombos (4-3)

Um time com uma dupla boa de RBs, por outro lado, tem muita alma e solidez suficiente para chegar aos playoffs. O que será dos Pombos por lá, entretanto, dependerá bem mais dos recebedores que tem um pezinho na mediocridade (Baldwin e Agholor) e o vovô mais querido do Brasil em Larry Fitzgerald. Serão perigosos porque Hunt é assustador.

2 (+2) – Philadelphia Beagles (3-4)

Gostamos dos Beagles. Acreditamos em Le’Veon Bell como nosso salvador e sabemos que está chegando aquele momento da temporada em que Seattle pega fogo. Se, de alguma maneira, o que Amari Cooper fez no TNF passado não foi apenas uma maneira de iludir otários a mantê-lo como titular no fantasy, teremos um representante da Filadélfia forte nos nossos playoffs também.

1 (+8) – Ismaelssen Arcanines (5-2)

A exemplo de como zicamos forte o PackersBR, conseguimos criar o efeito diretamente oposto nos Pokemons de fogo. As derrotas, ainda que talvez mais prováveis, não vieram e, assim como Blake Bortles, esse time será carregado longe por Fournette (que se machucou na semana mais adequada) e pela defesa de Sacksonville (chora, Rafael: é você que financia essa merda).