Análise Tática #10 – O Seattle Seahawks está de volta!

25/nov/16


Um dos times mais consistentes e vencedores da NFL na última década, o Seattle Seahawks teve um início de temporada conturbado. Enquanto a defesa continuava sendo uma das melhores da liga, não permitindo mais do que 18 pontos nos quatro primeiros jogos, o ataque dava sinais de declínio. A linha ofensiva não bloqueava ninguém, o jogo corrido nos fazia ter saudades de Marshawn Lynch e Russell Wilson, com duas contusões que poderiam ter sido muito sérias, não estava nem perto de ser o QB dinâmico ao qual nos acostumamos.

Os problemas ofensivos eram refletidos nos placares: Seattle teve extrema dificuldade para fazer 12 pontos e vencer o Miami Dolphins, fez apenas 3 pontos e, obviamente, foi derrotado pelo Los Angeles Rams e empatou com o Arizona Cardinals, num ridículo 6×6. O recorde de 4-2-1 atingido na semana 8 seria comemorado por mais de 50% dos times da NFL, mas para o Seattle Seahawks, que tem desde 2012 não fica fora dos playoffs e chegou a dois Super Bowls, não era suficiente, especialmente porque a performance ofensiva não convencia ninguém.

A partir da semana 9, porém, as coisas começaram a mudar. Russel Wilson voltou a jogar bem, Jimmy Graham mostrou que pode voltar a ser o jogador fantástico dos tempos de New Orleans Saints, o ataque corrido tem funcionado e a linha ofensiva passou a fazer um trabalho razoável. A evolução resultou em duas vitórias convincentes contra Buffalo Bills e New England Patriots, em que o ataque produziu 31 pontos em cada partida. Podemos dizer, sem medo, que o Seattle Seahawks está de volta e pode retomar o posto de principal força da NFC em breve.

Na vitória por 26×15 contra o Philadelphia Eagles, no último domingo, o ataque do Seattle Seahawks controlou totalmente a partida e fez basicamente o que quis. O rookie RB CJ Prosise, que saiu machucado da partida e deve ficar fora pelo menos da temporada regular, conseguiu um longo TD corrido e Russel Wilson RECEBEU um passe para TD do WR Doug Baldwin em uma trick play. Confira como as duas jogadas que exemplificam o reencontro do time com o sucesso ofensivo aconteceram:

CJ Prosise 72 yds TD:

O ataque do Seattle Seahawks posicionou três recebedores no alto da tela, que receberiam marcação individual da defesa do Philadelphia Eagles. Antes do snap, Doug Baldwin se deslocaria para o lado direito do ataque, para onde CJ Prosise correria, e se juntaria ao TE Luke Wilson como um bloqueador extra.

1

Quando Prosise recebeu a bola de Russel Wilson, tanto Baldwin quanto Luke Wilson fizeram bloqueios excelentes e eliminaram os defensores. A chave para o sucesso da jogada seria o CB Jalen Mills (31), único defensor do Eagles sem bloqueio.

2

Mills foi ridicularizado por Prosise, que só precisou usar sua velocidade, bater o safety que estava do outro lado do campo e anotar um maravilhoso TD de 72 yds.

3

Russel Wilson, o Wide Receiver:

O QB Russel Wilson recebeu um passe para TD do WR Doug Baldwin em uma jogada espetacular. Enquanto Russel Wilson fingia que entregava a bola para a corrida do RB Thomas Rawls, Doug Baldwin, posicionado na parte de baixo da tela, se deslocaria em direção a Russel Wilson para receber a bola e correr para o lado direito do ataque.

4

Quando recebeu a bola, Baldwin deslocou toda a defesa do Eagles para o lado de cima da tela, enquanto Wilson iniciava sua rota de recebedor na direção oposta.

5

Quando os defensores do Eagles perceberam que se tratava de uma trick play, já era tarde demais. Wilson estava completamente sozinho e anotou um belo TD recebido.

6

Tags: , , , ,

COMPARTILHE